ARQUIBANCADA Formula 1

Verstappen ultrapassa Hamilton na última volta em Abu Dhabi e é campeão da F1

Foi inacreditável. A Fórmula 1 viu a maior disputa por título da sua história ser definida na última volta do GP de Abu Dhabi. Com a ajuda de Nicholas Latifi, que a cinco voltas para o fim bateu e causou o safety-car que mudou toda a trajetória de uma prova encaminhada a Lewis Hamilton, a Red Bull deu o pulo do gato ao colocar pneus macios para Max Verstappen nas voltas finais, enquanto a Mercedes manteve seu piloto na pista.

Depois da volta do SC para o pit-lane, Hamilton liderava a disputa na relargada final, mas não suportou a melhor forma do holandês com os compostos vermelhos. Com bravura, Lewis tentou resistir, mas não conseguiu evitar a ultrapassagem e viu a vitória e o título serem conquistados pelo maior rival da sua carreira no inacreditável GP de Abu Dhabi deste domingo histórico para a Fórmula 1 e o esporte a motor.

A conquista de Verstappen neste domingo foi histórica em vários aspectos: o primeiro título conquistado pela Red Bull em oito anos, o primeiro holandês campeão mundial da Fórmula 1, a volta da Honda ao topo da categoria depois de 30 anos e também o desfecho de uma dinastia que durava desde 2014, para a Mercedes, e desde 2017, para Hamilton, que conquistaram títulos seguidos neste período. Para a Mercedes, restou o consolo com a conquista do importante Mundial de Construtores pela oitava vez, apesar do clima de velório que se instaurou na garagem da equipe chefiada por Toto Wolff.

Mercedes protesta após Verstappen derrotar Hamilton na Fórmula 1

A equipe Mercedes apresentou um protesto, neste domingo (12), após Max Verstappen, da Red Bull, vencer o Grande Prêmio de Abu Dhabi e derrotar o heptacampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton para conquistar o título de 2021 com uma ultrapassagem na última volta.

A equipe, que garantiu o título de construtores pelo oitavo ano consecutivo, protestou contra duas supostas violações das normas esportivas após o safety car entrar na pista no final da corrida.

Uma declaração dos comissários de prova disse que a Mercedes havia protestado “contra a classificação estabelecida no final da competição”, argumentando que houve uma violação do artigo 48.12.

Verstappen tinha retardatários entre ele e Hamilton após entrar nos boxes com o safety car na pista e o tempo da corrida acabando.

O diretor de prova, Michael Masi, decidiu que apenas cinco retardatários entre os dois rivais na disputa pelo título deveriam ser autorizados a recuperar a volta, ao invés de todos os retardatários, como é o procedimento usual.

Em um segundo protesto, a Mercedes também argumentou que o artigo 48.8 foi violado com o carro da Verstappen ultrapassando Hamilton antes de a corrida ser retomada, à medida que ele esperava impacientemente o retorno da prova.

É ilegal ultrapassar, a menos que autorizado a fazê-lo, enquanto o carro de segurança estiver na pista.

A Mercedes disse que não fará mais comentários antes da audiência sobre o protesto.

RÁDIO JN

ESTÚDIO AO VIVO

Veja as câmeras de monitoramento de Niterói

Não foi possível carregar as informações sobre o blog no momento.

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: