Niterói

Secretário de Niterói é ameaçado e entra no Programa de Proteção de Testemunha

A Polícia Civil está investigando ameaças de morte contra o secretário de Direitos Humanos de Niterói, Raphael Costa. A informação sobre a possibilidade de assassinato do político foi recebida pelo Disque 100 e repassada às autoridades.

O secretário denunciou no dia 18 de março, casos de violações de direitos humanos em território ocupados por milicianos no Rio. Desde então, vem recebendo ameaças e xingamentos.

“Nunca fui de alimentar esse tipo de polêmica, nem acirrar os ânimos. Mas dessa vez estamos extremamente preocupados com minha segurança. Não teve 1 dia, desde a apresentação da denúncia na ONU, que eu não tenha recebido uma mensagem ou ligação, com ameaças e xingamentos. Querem intimidar e constranger nossa luta pela vida e pela justiça, mas não vão nos calar”, afirmou Raphael.

O caso está registrado na delegacia de Icaraí. Na próxima semana, o secretário estará reunido com a equipe do Programa de Proteção a Testemunhas.

Denúncia

O Governo do Rio de Janeiro foi denunciado, na tarde do dia 18 de março, no Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), por omissão em violações de direitos. A denúncia teve como base relatórios da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (DPRJ) e do Colégio Nacional de Defensores Públicos Gerais (CONDEGE). O documento foi entregue por Raphael Costa, secretário de Direitos Humanos de Niterói, no escritório do Alto Comissariado para Direitos Humanos da ONU em Nova Iorque, às 14h.

“Entre 2021 e 2022, foram diversos os casos graves de violência e violação de direitos, tais como o Hiago, Moïse, Elias, Ana Clara, dentre outros. Isso evidencia que não se trata apenas de casos eventuais, mas uma ação sistemática respaldada na omissão do governo estadual, que deveria agir como garantidor dos direitos. Estamos falando do direito mais sagrado, que é o direito à vida humana”, comentou o secretário.

Um dos relatórios que dão sustentação a denúncia foi produzido pela Defensoria Pública. O documento detalha o que seria a omissão e participação do governo estadual em diversos casos de violações de direitos e violência, principalmente em áreas dominadas por milícias.

RÁDIO JN

ESTÚDIO AO VIVO

Veja as câmeras de monitoramento de Niterói

Não foi possível carregar as informações sobre o blog no momento.

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: