Connect with us

Negócios & Ideias

Pequenos negócios respondem por 72% dos empregos gerados no país

Published

on

Os pequenos negócios apresentaram um saldo positivo de 2.094.812 empregos com carteira assinada, o que significa 71,8% das vagas criadas no país. Número quase três vezes superior ao das médias e grandes que contrataram, entre julho de 2020 e julho de 2021, 717.029 trabalhadores, segundo levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Apenas em junho de 2021, as micro e pequenas empresas (MPE) apresentaram 871.197 admissões contra 654.801 desligamentos, resultando em um saldo positivo de 216.396 empregos gerados.

Admissões

Esse montante equivale a 70% do total de empregos no território nacional. Já as médias e grandes empresas (MGE) fizeram 663.993 admissões contra 596.048 desligamentos, com saldo positivo de 67.945 empregos, o que equivale a 21,9% do total gerado no país.

Ainda de acordo com Sebrae, o segmento de serviços, um dos mais afetados pela pandemia de covid-19, foi o que mais gerou empregos. Em junho, essas empresas criaram 87,2 mil novas vagas, seguidas pelas do comércio com 63,2 mil, indústria da transformação com 30,9 mil, construção civil com 26,4 mil e agropecuária com 5,9 mil. Todos os setores das MPE apresentaram resultado positivo, diferentemente do que ocorreu nas MGE, que fecharam cerca de seis mil vagas na construção civil.

Advertisement
Continue Reading
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Negócios & Ideias

Pão de Açúcar faz leilão do que restou do Extra Hiper

Published

on

Após vender 70 lojas do Extra Hiper para o atacarejo Assaí por 5,2 bilhões de reais, o Grupo Pão de Açúcar está colocando em leilão milhares de itens remanescentes das unidades. Os bens podem ser arrematados até o dia 12 de janeiro, por meio de lances eletrônicos no site de leilões Superb

São 21 lotes, totalizando mais de 30 mil itens, pertencentes a diversas lojas do Extra Hiper nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Há opções de mobiliário, peças, produtos de segurança, infraestrutura, balcões, compressores, ar-condicionado, gôndolas, fogões industriais, bancadas, entre outros.

Os lances iniciais variam de 118,8 mil a 940,4 mil reais. De acordo com os organizadores do pregão, os bens são um atrativo para mercados de pequeno, médio e grande portes, além de investidores, empreendedores e pessoas interessadas em revenda. Para mais detalhes dos lotes e do leilão, basta acessar este link.

Antes de colocar equipamentos em leilão, o Extra Hiper já havia feito uma mega liquidação para queima de estoque.

Advertisement

Em outubro, o Grupo Pão de Açúcar anunciou que iria desativar a marca Extra Hiper – que tinha 103 lojas, das quais 71 vão virar atacarejos do Assaí e as demais vão ser transformadas em supermercados.

Das lojas a serem desativadas, mais da metade fica em municípios com mais de meio milhão de habitantes, enquanto 25 estão na capital paulista.

O fim do Extra Hiper é mais um passo de um movimento de despedida dos hipermercados no país, em especial nas grandes cidades.

Continue Reading

Negócios & Ideias

Cassinos têm urgência para votação na Câmara

Published

on

Câmara dos Deputados deve votar em fevereiro o projeto que legaliza o funcionamento de cassinos e outros jogos no país. O prazo foi estabelecido após ter sido aprovado o requerimento de urgência para o tema, no último dia 16 de dezembro, com o apoio do presidente da Casa, deputado Arthur Lira (PP/AL).

Na visão de Lira e dos deputados que estão de acordo com a proposta, o país hoje já convive com os jogos ilegais, que não geram arrecadação tributária nem empregos formais. A legalização trará transparência e controle a um setor econômico, inibindo as atividades de grupos criminosos.

Já os deputados contrários, que querem que a situação permaneça como está, alegam que a legalização incentivará a lavagem de dinheiro, além de propiciar o aumento do vício pelos jogos e apostas. O projeto da legalização já trata dos dois problemas, ao estabelecer que os jogos só serão feitos com a identificação dos apostadores pela Receita Federal, em um controle on-line simples já possível pela tecnologia.

Projeto de Lei do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil tramita no Congresso Nacional desde 1991 e nunca foi votado pela falta de consenso entre os parlamentares. Em setembro passado, um grupo de trabalho foi nomeado por Lira para analisar e atualizar o projeto de lei.

Advertisement

O coordenador do grupo, deputado Bacelar (Podemos-BA), defende que o Brasil precisa sair da ilegalidade. “Não podemos fechar os olhos para os jogos. Todos nós sabemos da hipocrisia, mas temos que ser coerentes e aprovar todas as modalidades”, disse o parlamentar.

Cassinos só são proibidos no Brasil e em Cuba

Segundo dados divulgados por Bacelar, a volta da legalização dos cassinos tem potencial para gerar 450mil empregos formais. Além disso, haverá a regulamentação dos mais de 400 sites de jogos on-line que operam hoje no país sem nenhuma arrecadação para os governos.

Bacelar lembra que os cassinos atuaram livremente no Brasil até 1946, que hoje figura ao lado de Cuba como os únicos países a não permitirem esse tipo de estabelecimento nas Américas.

O projeto que será votado pela Câmara é um substitutivo apresentado pelo deputado Felipe Carreras (PSB-PE) em nome do grupo de trabalho que analisou o tema. A discussão da proposta permanecerá aberta para que os parlamentares apresentem emendas e destaques e rediscutam o texto após o recesso parlamentar.

A matéria propõe a legalização de todas as modalidades de jogos, como cassinos em resorts integrados, cassinos urbanos, jogo do bicho, apostas esportivas, bingos, jogos de habilidade e corridas de cavalos. As licenças serão concedidas por meio de licitações públicas do Governo Federal, e os jogos serão fiscalizados por um órgão regulador nacional.

Advertisement

Continue Reading

Negócios & Ideias

Uber decide encerrar Uber Eats para delivery em restaurantes

Published

on

A Uber anunciou, nesta quinta-feira (6), que o aplicativo Uber Eats vai deixar de fazer entregas de restaurantes a partir do dia 8 de março.

“Nosso principal objetivo daqui para frente será oferecer acesso à seleção de supermercados, lojas especializadas, pet shops, floriculturas, lojas de bebidas e outros artigos no aplicativo”, informou a empresa em nota.

Outra novidade anunciada, a partir desta quinta (6), a modalidade de pagamento em dinheiro está indisponível no Uber Eats.

“Todos os usuários conseguirão continuar fazendo pedidos até 7 de Março, porém apenas por meios digitais como cartão de crédito e débito e PIX”, informou a empresa.

Advertisement

A Uber afirmou que a decisão foi tomada para concentrar esforços na parceria com a startup chilena Cornershop para entrega de itens de conveniência e mercado.

Continue Reading

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

%d blogueiros gostam disto: