Destaque EM BRASÍLIA

MILTON RIBEIRO PEDE EXONERAÇÃO DO MEC

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, divulgou uma carta com seu pedido de demissão nesta segunda-feira (28), após ser acusado de favorecer dois pastores na alocação de verbas da pasta. Ribeiro, que também é pastor e teria permitido que seus colegas agissem fazendo lobby junto às prefeituras para construção de creches e reformas de escolas. A carta já circula entre os congressistas. A informação foi confirmada e publicada no Diário Oficial.

“Decidi solicitar ao Presidente Bolsonaro a minha exoneração do cargo, com a finalidade de que não paire nenhuma incerteza sobre a minha conduta e a do Governo Federal”, escreveu o ministro.

O ex-chefe da pasta é investigado pela Polícia Federal após uma série de reportagens dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo que denunciaram a existência de um “gabinete paralelo” formado por pastores, que controlariam a liberação de verbas e a agenda do Ministério da Educação (MEC).

Em uma das matérias é divulgado uma conversa gravada em que Milton Ribeiro disse, em encontro com prefeitos, que o governo prioriza amigos de pastores a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL). Os religiosos citados pelo ministro são Gilmar Santos e Arilton Moura, que não são do Governo Federal, mas estiveram presentes em várias reuniões com autoridades nos últimos anos

RÁDIO JN

ESTÚDIO AO VIVO

Veja as câmeras de monitoramento de Niterói

Não foi possível carregar as informações sobre o blog no momento.

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: