EM BRASÍLIA

Milton Ribeiro comunicou que solicitará licença do cargo a Bolsonaro

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, deve entrar de licença. A movimentação pode acontecer ainda nesta 2ª feira (28.mar.2022). O secretário-executivo, Victor Godoy, deve assumir o cargo.

O ministro ficaria afastado da função até o fim das investigações da Polícia Federal sobre supostas irregularidades na pasta. O inquérito apura suspeitas de oferecimento de vantagem indevida para liberação de recursos do FNDE (Fundo nacional de Desenvolvimento da Educação).

A bancada evangélica apoiou o pedido de licenciamento e articulou pelo afastamento nos últimos dias. Há a avaliação de que a licença seria uma saída “mais honrosa” e estancaria as críticas sobre a comunidade evangélica.

Em áudio vazado na semana passada, o ministro da Educação disse que sua prioridade “é atender 1º os municípios que mais precisam e, em 2º, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar”. Também afirmou que esse “foi um pedido especial que o presidente da República [Jair Bolsonaro]” fez.

A fala refere-se a Gilmar dos Santos, líder do Ministério Cristo para Todos, uma das igrejas evangélicas da Assembleia de Deus em Goiânia (GO). A declaração foi realizada em uma reunião no MEC (Ministério da Educação) com prefeitos, líderes do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura.

Depois da divulgação dos áudios, Ribeiro disse que o presidente Jair Bolsonaro “não pediu atendimento preferencial a ninguém”. Segundo ele, Bolsonaro só solicitou que o ministro recebesse todos que procurassem o MEC.

RÁDIO JN

ESTÚDIO AO VIVO

Veja as câmeras de monitoramento de Niterói

Não foi possível carregar as informações sobre o blog no momento.

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: