Connect with us

NOTÍCIAS

iFood passa a cobrar taxa de serviço em pedidos

Published

on

Nos últimos dias, usuários do iFood notaram a presença de uma taxa extra nos pedidos feitos pelo app. De acordo com os casos relatados nas redes sociais, além de cobrar pela entrega, o serviço de delivery adotou uma taxa de serviço de R$ 0,99 em pedidos com valor menor do que R$ 20. Na hora de concluir o pagamento, o cliente é informado que a novidade é destinada à manutenção do app.

Procurado, o iFood não se pronunciou a respeito da cobrança das taxas até a finalização da matéria. Além disso, também não é possível saber se o acréscimo está sendo feito em todo o Brasil ou apenas em regiões específicas do país. O texto será atualizado em caso de resposta.

Nos termos de uso para entregadores, atualizado em março de 2020, o iFood informa o seguinte (grifo nosso):

O iFood poderá, a seu exclusivo critério, cobrar dos Clientes Finais um valor de taxa de intermediação (que poderá ser denominada de “taxa de entrega”, “taxa de serviço” ou outra) nos casos em que atua como contratante intermediário dos Estabelecimentos Parceiros…

Advertisement

Porém, lendo os termos de uso para clientes finais, não encontramos nenhuma referência específica a uma taxa de serviço – o que talvez faça sentido, já que o documento foi atualizado pela última vez em 2013. (É possível conferi-lo no app indo em Perfil > Ajuda > Políticas e termos > Termos de uso.)

 

A mudança:

Advertisement

Uber Eats e Rappi já cobravam taxa de serviço

Diferente de outros aplicativos de delivery, o iFood ainda não tinha uma taxa específica para manutenção do serviço.

O Uber Eats vem cobrando, desde 2019, uma taxa de serviço de 5% a 10% em pedidos no Brasil, mais o valor da entrega. Por sua vez, a Rappi diz em seus termos de uso que “pode cobrar do usuário uma taxa de serviço pelo uso de sua plataforma e continuar fornecendo um serviço de qualidade”. Esse valor pode variar de acordo o tipo de produto e com a loja em questão.

Dona do iFood recebeu aporte de R$ 1 bilhão

Nos últimos meses, a empresa Movile – dona do iFood e outros empreendimentos de tecnologia – recebeu um aporte de R$ 1 bilhão, o maior desde sua fundação em 1998. O dinheiro vem de um fundo de investimento holandês especializado em negócios digitais. O grupo diz que vai investir o montante em sua divisão de fintechs, logística e games dentro do ecossistema de startups latino-americano.

Advertisement

Além disso, a divisão de fintechs da Movile criou a Conta Digital do iFood, elaborada pela Zoop e pela MovilePay. Desde sua criação no final de 2020, ela já concedeu mais de R$ 300 milhões em empréstimos a pequenos restaurantes registrados na plataforma de delivery. repentina no iFood causou espanto em usuários do Twitter, como você pode conferir abaixo:

Continue Reading
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Mundo

Nova variante do coronavírus com grande número de mutações

Published

on

Os cientistas alertam que a variante B.1.1.529, descoberta pela primeira vez em Botsuana e com seis casos de infecção confirmados na África do Sul, tem um “número extremamente alto” de mutações, o que pode levar a novas ondas de covid-19.

Foram confirmados dez casos em três países (Botsuana, África do Sul e Hong Kong) por sequenciamento genético, mas a nova variante causou grandes preocupações aos pesquisadores porque algumas das mutações podem ajudar o vírus a escapar à imunidade.Os primeiros casos da variante foram descobertos no Botsuana, em 11 de novembro, e os primeiros na África do Sul três dias depois. O caso encontrado em Hong Kong foi de um homem de 36 anos que teve um teste PCR negativo antes de voar de Hong Kong para a África do Sul, onde permaneceu de 22 de outubro a 11 de novembro. O teste foi negativo no regresso a Hong Kong, mas deu positivo em 13 de novembro quando estava em quarentena.

A variante B.1.1.529 tem 32 mutações na proteína spike, a parte do vírus que a maioria das vacinas usa para preparar o sistema imunológico contra a covid-19. As mutações na proteína spike podem afetar a capacidade do vírus de infectar células e se espalhar, mas também dificultar o ataque das células do sistema imunológico sobre o patógeno.

Os cientistas observam a nova variante, em busca de qualquer sinal de que esteja a ganhar força e acabe por se espalhar amplamente. Alguns virologistas da África do Sul já estão preocupados, especialmente devido ao recente aumento de casos em Gauteng, uma área urbana que inclui Pretória e Joanesburgo, onde já foram detectados casos com a variante B.1.1.529.

Advertisement

Continue Reading

Católicos em Ação

Reconhecidas as virtudes heroicas da Serva de Deus Odette Vida

Published

on

O Papa Francisco assinou o Decreto sobre o reconhecimento das virtudes heroicas da Serva de Deus Odette Vidal Cardoso, Fiel Leiga; nascida em 18 de fevereiro de 1931 no Rio de Janeiro (Brasil) e onde faleceu em 25 de novembro de 1939. Ela se torna venerável.

A Serva de Deus Odette Vidal Cardoso nasceu no Rio de Janeiro (Brasil) em 18 de fevereiro de 1931, de pais portugueses que tinham emigrado para o Brasil.

Em 1939, a mãe da Serva de Deus, ficou viúva, casou com um rico comerciante, que acolheu a menina e a amou como se ela fosse sua filha.

A Serva de Deus participava todos os dias da Santa Missa com a sua mãe e rezava o terço com a sua família todas as noites. Aos cinco anos, começou a frequentar o catecismo no Colégio da “Imaculada Conceição”. Desta forma aprendeu as verdades da fé e até ensinou catecismo às filhas das empregadas domésticas de casa. Considerando a extraordinária maturidade da Serva de Deus, o seu diretor espiritual, padre Alfonso Maria Germe, C.M., admitiu-a à Primeira Comunhão em 15 de agosto de 1937.

A Serva de Deus estava ao lado da sua mãe enquanto se dedicava a obras de caridade ao serviço dos pobres da cidade.

Advertisement

Depois de ter adoecido com tifo em 1º de outubro de 1939, a Serva de Deus, durante os 49 dias de doença, mostrou uma fortaleza fora do comum; nunca se queixou e suportou todos os seus sofrimentos com serenidade e paciência. Tudo o que ela queria era receber diariamente a Comunhão. Nos últimos dias da sua vida recebeu também os Sacramentos da Crisma e da Unção dos Enfermos.

Faleceu no dia 25 de novembro de 1939 no Rio de Janeiro (Brasil).

Eis o que disse à Rádio Vaticano – Vatican News o arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta:

Exercício heroico das virtudes

Desde os primeiros anos da sua vida, a Serva de Deus teve uma profunda percepção da existência de Deus, Pai de infinita bondade. Ela nutriu um forte desejo de estar sempre unida a Jesus, a quem percebia como uma realidade viva e concreta. Entre os gestos que demonstram a experiência heroica da sua fé está a sua relação íntima com Jesus na Eucaristia; a contemplação do Crucifixo, a meditação sobre as dores da Paixão e o recolhimento quando recebia a comunhão. Ela teve uma devoção particular por Nossa Senhor, São José, Santa Teresa do Menino Jesus, Santa Bernadete e por São Tarcísio, mártir da Eucaristia. Foi a fé que sustentou a Serva de Deus nos seus momentos de sofrimento e na preparação para a sua morte.

A sua curta vida foi animada pela esperança de viver sempre na presença de Deus. Ela enfrentou a morte com serenidade e alegria, esperando o momento de se unir ao seu amado Jesus. Ela morreu exclamando: “Jesus, leva-me para o céu”.

Advertisement

Falava de Deus e com Deus como que abandonada a Ele em êxtase e pedia aos outros que O amassem da mesma forma. Com a sua mãe, ela ia todas as semanas aos lares de idosos abandonados, aos orfanatos e especialmente ao leprosário.

Continue Reading

Negócios & Ideias

Inflação é a maior para um novembro em 19 anos

Published

on

A prévia da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), apresentou alta de 1,17% em novembro. O resultado representa a maior variação para o mês desde 2002, quando o índice ficou em 2,08%.

No mês passado, o IPCA-15 ficou em 1,20% e em novembro de 2020, 0,81%. O acumulado do ano está em 9,57% e em 12 meses a prévia da inflação está em 10,73%, acima dos 10,34% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Os dados foram divulgado hoje (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Todos os grupos de serviços e produtos pesquisados tiveram alta na prévia de novembro. O maior impacto individual no indicador foi da gasolina, que ficou 6,62% mais cara no mês, influenciando o resultado dos transportes, com variação de 2,89%, a maior entre os grupos pesquisados. No ano, a gasolina subiu 44,83% e em 12 meses a alta acumulada é de 48%.

O transporte por aplicativo teve alta de 16,23% na prévia de novembro, após ter subido 11,60% em outubro. Já as passagens aéreas ficaram 6,34% mais baratas, depois de subir 28,76% na prévia de setembro e 34,35% em outubro.

Advertisement

No grupo habitação, que subiu 1,06%, a maior contribuição foi do gás de botijão, que teve a 18ª alta consecutiva, ficando 4,34% mais caro em novembro. O produto acumula alta de 51,05% desde junho de 2020. A energia elétrica desacelerou e subiu 0,93%, após subir 3,91% em outubro. Além do reajuste em Goiânia, Brasília e São Paulo, desde setembro está em vigor a bandeira tarifária Escassez Hídrica, que acrescenta R$ 14,20 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos.

O grupo alimentação e bebidas desacelerou, com alta de 0,4% em novembro, depois de subir 1,38% em outubro. As principais altas foram do tomate (14,02%), batata-inglesa (14,13%), cebola (7%), frango em pedaços (3,07%) e queijo (2,88%). Por outro lado, houve queda no preço das carnes (-1,15%), leite longa vida (-3,97%) e frutas (-1,92%).

Em saúde e cuidados pessoais, os itens higiene pessoal (1,65%) e produtos farmacêuticos (1,13%) foram as maiores influências para a alta de 0,80% na prévia do mês. Vestuário subiu 1,59%, educação ficou estável, com alta de 0,01%, e artigos de residência ficaram 1,53% mais caros, despesas pessoais subiram 0,61% e o grupo comunicação teve alta de 0,32% na prévia de novembro.

Regiões

Segundo o IBGE, todas as áreas pesquisadas tiveram alta no IPCA-15 de novembro. A maior variação foi em Goiânia, com alta de 1,86%, puxada pelo reajuste da energia elétrica (10,93%) e pela gasolina (5,87%). A menor inflação foi medida na região metropolitana de Belém, que subiu 0,76%, com a queda de 2,05% na energia elétrica e de 9,3% no açaí.

O IPCA-15 difere do IPCA pelo período de coleta, que vai do dia 16 do mês anterior ao 15 do mês de referência, e nas regiões pesquisadas. A população-objetivo do IPCA-15 são as famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, residentes nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia. (com Agência Brasil)

Advertisement

Continue Reading

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

%d blogueiros gostam disto: