Destaque Estado

‘Cidade Integrada’ será desenvolvido inicialmente em duas comunidades

O governador do Rio, Cláudio Castro, anunciou, nesse sábado, que o Programa ‘Cidade Integrada’ só será implementado, inicialmente, em outras comunidades  após ter resultados no Jacarezinho e na Muzema, áreas da capital. Para a implantação do plano, que prevê a obras e outras ações em prol da cidadania, estão sendo utilizados um grande aparato de policiais civis e militares, como forma de tentar neutralizar as açõe dos criminosos que atuam nesses locais.

A utilização do aumento de forças de segurança pública em comunidades do Grande Rio, para se tenttar ações governamantais mais consistentes, é uma experiência que ao longo dos anos últimos anos vem se repetindo com frequência. Além da manutenção de, forma reduzida, de algumas Unidades de Polícia Pacificadora na capital, em Niterói também existe um plano especial de policiammento em andamento desde 2020.  milicianos,

Ao falar sobre as novas iniciativa, o governador Cláudio Castro foi incisivo sobre os primeiros objetivos a serem cumpridos. “Enquanto não estiver funcionando plenamente (no Jacarezinho e na Muzema) não vamos falar das próximas. Enquanto o programa não tiver devidamente implantado mostrando resultados, não há sequer prazo para as próximas. As primeiras são Jacarezinho e Muzema, e só há de se pensar nas próximas após essas estarem funcionando totalmente de forma correta”, contou Castro.

As duas primeiras comunidades a serem atendidas pelo projeto que começou na última quarta-feira (19), ficam na zona Norte e Oeste, respectivamente, da capital. Em coletiva na manhã desta sábado, o governador falou do plano que prevê  investimento inicial de mais de R$500 milhões. As etapas têm planejamento voltados para educação, mercado de trabalho, saúde, bem-estar, saneamento básico, entre outros.

Outras experiências – As Unidades de Polícia Pacificadora foram a última grande mobilização do poder público para tentar levar para as comunidades obras e outros serviços de cidadania. A presença da polícia nesses tipos de plano se faz necessária para neutralizar as ações de criminosos. As UPPs ainda funcionam, mas de forma reduzida, em algumas comunidades da capital. A população de Niterói vive uma experiência recente desde agosto de 2020, com ocupações permanentes em comunidades de Ssnta Rosa, do Largo da Batalha e de São Francisco.

Cabines – Além de presença de policiais militares, o plano conta ainda com a instalação de cabines blindadas na entrada das comunidades do Viradouro, em Santa Rosa, e do Areal, na Estrada da garganta. O plano especial, que não tem data para acabar, foi montado para garantir a conclusão do obras públicas naquelas regiões, que estavam em risco por causa das ameaças de traficantes, que exigiam dinheiro para autorizar o andamento das ações do poder público. Apenas em Santa Rosa, o valor pedido teria chegado a R$ 30 mil mensais.

RÁDIO JN

ESTÚDIO AO VIVO

Leia o QR Codes e tenha a Rádio JN a um clique no seu smartphone Android

Baixe o App e tenha a RádioJN a um clique no seu iPhone

Baixe o App e tenha a RádioJN a um clique no seu smartphone Android

Veja as câmeras de monitoramento de Niterói

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: