Destaque Estado NOTÍCIAS

Águas do Rio assume em novembro distribuição de água em 27 cidades

A concessionária Águas do Rio assumirá em 1º de novembro a distribuição de água em 27 cidades fluminenses, incluindo parte da capital. O governador do estado Cláudio Castro anunciou hoje (14) uma antecipação no início das operações da empresa, que faz parte do grupo Aegea Saneamento. A princípio, a concessionária se tornaria responsável pelo serviço apenas no ano que vem.

“Não tenho dúvidas de que essa antecipação é benéfica para todos. São novos empregos e investimentos importantes nesse momento de retomada econômica do estado do Rio”, disse Castro. Segundo informou em nota o governo do Rio de Janeiro, a concessionária deverá fazer o pagamento da segunda parcela da outorga, no valor de R$ 2,3 bilhões, além de iniciar obras de infraestrutura previstas na concessão.

“As contratações de funcionários já estão em andamento, priorizando a mão de obra local, e até o fim do mês serão mais de 1,5 mil novos colaboradores, com previsão de chegar a 5 mil empregos diretos em dezembro e outros 15 mil indiretos ao longo da operação”, registra a nota.

A distribuição de água em boa parte dos municípios, até então atendidos pela estatal Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), está sendo repassada à iniciativa privada. O modelo de concessão foi elaborado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Trinta cidades do estado atendidas pela estatal não aderiram ao projeto.

Com ofertas de R$ 8,2 bilhões e R$ 7,2 bilhões respectivamente, a Águas do Rio venceu em abril o leilão dos blocos 1 e 4, que juntos abrangem 26 municípios e 124 bairros do centro, da zona sul e da zona norte da capital. Segundo o presidente da empresa, Alexandre Bianchini, a preparação para assumir os serviços antecipadamente envolveu a construção de um dos mais modernos centros de operações no segmento de saneamento básico no país.

Ele afirma que mais de mil pontos de distribuição de água na área de abrangência da concessão são monitorados, número que deverá triplicar. De acordo com Bianchini, softwares e equipamentos automatizados medem inúmeras variáveis, como pressão, vazão, temperatura, energia e teor de produtos químicos, permitindo análises e tomadas de decisão mais assertivas.

“Essa tecnologia vai impactar na eficiência operacional, na transparência das informações, na regularidade dos serviços prestados para os fluminenses, transmitindo confiabilidade na operação e credibilidade aos clientes”, disse.

A concessão ocorre conforme regras do novo marco legal do saneamento, aprovado no ano passado. Além da Águas do Rio, o consórcio Ingá arrematou por R$7,3 bilhões o bloco 2, que engloba outra parte da capital – Barra da Tijuca e Jacarepaguá – e mais dois municípios. O bloco 3, que abrange a zona oeste carioca e seis cidades, não recebeu ofertas e será relicitado.

RÁDIO JN

ESTÚDIO AO VIVO

Leia o QR Codes e tenha a Rádio JN a um clique no seu smartphone Android

Baixe o App e tenha a RádioJN a um clique no seu iPhone

Baixe o App e tenha a RádioJN a um clique no seu smartphone Android

Veja as câmeras de monitoramento de Niterói

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: