WhatsApp abandona cobrança anual de US$ 1 e se torna gratuito para sempre

Pegando todos de surpresa, o WhatsApp anunciou nesta segunda-feira (18) que deixará de cobrar a subscrição anual de US$ 1 para seus usuários. A informação foi revelada por Jan Koum, fundador do serviço, durante uma conferência em Munique, Alemanha.

Comprado pelo Facebook há dois anos por 22 bilhões de dólares, o aplicativo atualmente já ultrapassa a marca de 900 milhões de usuários ativos mensalmente e vem colecionando recordes e fãs. Inicialmente, acreditava-se que o Facebook encontraria uma maneira de rentabilizar o aplicativo com anúncios e afins, embora tudo o que tem acontecido é que o mensageiro continua funcionando de maneira independente e abandona de vez a monetização para se tornar uma plataforma mais ampla.

Por muitos anos, nós pedimos algumas pessoas que pagassem uma taxa para utilizar o WhatsApp após o primeiro ano de uso. Como nós crescemos, descobrimos que esta abordagem não estava funcionando muito bem. Muitos usuários não tem um número de cartão de crédito ou débito, e eles temiam que pudessem perder seus contatos após o primeiro ano. Sendo assim, ao longo das próximas semanas, vamos remover as taxas em diferentes versões do WhatsApp e deixar que você seja livre em novo serviço.
E para os que ainda estão preocupados na maneira como o WhatsApp vai se virar sem ter que cobrar assinaturas anuais aos seus usuários, a empresa garante que não adotará anúncios de terceiros dentro do aplicativo. Ela cita que em 2016 vai testar ferramentas que permitem o uso do WhatsApp por empresas e organizações, facilitando o contato direto entre consumidores e prestadores de serviços.

Com a remoção da taxa anual de um dólar, o WhatsApp agora permite que todos os usuários possam utilizar o serviço sem nenhuma restrição, além de acabar com a insegurança sobre como seria utilizá-lo após o período gratuito de um ano. Isso também nos dá uma ideia bem interessante de como o Facebook pretende ganhar dinheiro com o aplicativo mensageiro, embora ainda seja cedo para comentar os planos, que pouco foram divulgados.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: