full screen background image




Vasco é rebaixado pela terceira vez

O sonho vascaíno de escapar do rebaixamento teve fim neste domingo. O time não conseguiu sair de um empate sem gols com o Coritiba, no Couto Pereira, e teve decretada a terceira queda de sua história à Série B. A equipe, que já havia ido para a segunda divisão em 2008 e 2013, não escaparia da degola nem se tivesse vencido o jogo. Isso porque o Figueirense derrotou o Fluminense por 1 a 0, no Orlando Scarpelli, e escapou da queda nesta 38ª rodada do Brasileirão. Além do Cruz-Maltino, foram rebaixados Avaí, Goiás e Joinville.

Dentro de campo, o Vasco não produziu o suficiente para ameaçar a defesa do Coritiba e facilitou a vida do rival. O time carioca abusou dos erros de passe e conclusão e não soube se adaptar ao gramado do Couto Pereira após a forte chuva que caiu em Curitiba. Com 41 pontos, na 18ª colocação, o time se despede da primeira divisão com dez vitórias, 11 empates e 17 derrotas. O saldo de gols final da equipe foi de -26.

Já o Coritiba, que passou boa parte do campeonato brigando contra o rebaixamento, conseguiu se salvar graças ao ponto conquistado neste domingo. O time terminou a competição nacional na 15ª posição, com 44 pontos.

O Jogo – O duelo entre Coritiba e Vasco contrariou a recomendação da CBF, teve seu início retardado e começou minutos depois dos demais jogos da rodada. Como em qualquer decisão, os times gastaram boa parte do primeiro tempo estudando um ao outro. Nas raras chances de gol, os atacantes de ambas as equipes falharam na hora da conclusão. Aos 14 minutos, Nenê tomou a dianteira dos marcadores após desvio de cabeça de Riascos e tentou tirar do alcance de Wilson. O goleiro, no entanto, cresceu para cima do vascaíno e praticou a defesa.

A perda do gol não foi o pior momento do Cruz-Maltino na etapa inicial. Aos 27, Diguinho sentiu uma lesão e pediu para ser substituído. O treinador Jorginho, que optou por promover a estreia do jovem Mateus Pet, viu o esquema tático que estudou durante a semana ruir com a alteração. O Vasco piorou dentro de campo e permitiu que o Coxa chegasse pela primeira vez com perigo. Aos 31 minutos, Juan fez boa jogada na frente e deixou Henrique Almeida em condições claras de anotar o gol, mas o atacante optou por chutar com o pé esquerdo e mandou para fora.

O futebol visto nos minutos restantes do primeiro tempo foi muito prejudicado pelo temporal que caiu na cidade de Curitiba. Os atletas passaram a escorregar no campo alagado do Couto Pereira e tiveram de redobrar a atenção com relação ao posicionamento defensivo. Na volta do intervalo, o Vasco voltou a buscar o ataque e chegou com perigo aos dois minutos, em chute para fora de Mateus Vital. No lance seguinte, Nenê foi ao chão dentro da área e pediu o pênalti, mas o árbitro Anderson Daronco não viu irregularidade e mandou o atleta se levantar.

A chuva bem que deu uma trégua na etapa complementar, mas as poças d’água espalhadas pelo gramado ainda prejudicavam o desempenho das equipes. O Vasco também sofria com o emocional dos jogadores. Os gols de Figueirense e Avaí contra Fluminense e Corinthians, respectivamente, sentenciavam a queda da equipe à Série B logo no início do segundo tempo. Mesmo superior ao Coritiba, o Cruz-Maltino não conseguia criar nenhuma chance de gol e mantinha o jogo amarrado na zona central do campo.

Jorginho, então, tirou o meia Bruno Gallo para a entrada do atacante Leandrão. A mudança não surtiu efeitos e deixou o estilo de jogo da equipe ainda mais engessado. O nervosismo dos vascaínos também era cada vez mais latente. A torcida do Coritiba passou a provocar os adversários com gritos de “segunda divisão”, enquanto o time alviverde só administrava as tímidas investidas dos cariocas.

Além da ausência de técnica, o Cruz-Maltino ainda ficou sem o atacante Jorge Henrique. O atacante foi expulso nos acréscimos por jogar água em um gandula que atrasava a reposição de bola. Aos 49, o árbitro Anderson Daronco apontou para o centro do gramado e sacramentou a melancólica despedida do Vasco da Série A.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA 0 X 0 VASCO

Local: estádio Couto Pereira, em Curitiba
Data: 6 de dezembro de 2015, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG)
Cartão amarelo: Negueba (Coritiba)
Cartão vermelho: Jorge Henrique (Vasco)

CORITIBA: Wilson; Leandro Silva, Walisson Maia, Juninho, Carlinhos; Cáceres (Ícaro), Alan Santos (Rafael Marques), Juan (Thiago Lopes) e Negueba; Kleber Gladiador e Henrique Almeida
Técnico: Pachequinho

VASCO: Martin Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Diguinho (Mateus Vital), Serginho, Bruno Gallo (Leandrão) e Nenê; Jorge Henrique e Duvier Riascos (Rafael Silva)
Técnico: Jorginho




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: