Tensão em presídios de Bangu

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) está em alerta: a falta de água aliada ao calor intenso tem deixado o clima mais tenso no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro. O antigo Complexo de Bangu tem 21 unidades prisionais e cerca de 50 mil detentos.

A interrupção no abastecimento de água começou, segundo o G1, há cerca de 13 dias, em 27 de dezembro. O site disse ainda que a Seap estaria preocupada com possível rebelião e que está tomando uma série de medidas administrativas para evitá-la.

Carros-pipas estão abastecendo os 21 presídios do complexo e os cinco hospitais ligados a ele. A previsão é de que, nesta segunda (9), a Companhia Estadual de Água (Cedae) vá ao Gerincó para tentar normalizar o abastecimento.

O fato de a secretaria estar estudando o pedido de advogados de uma facção criminosa para transferência de ex-policiais presos na Penitenciária Lemos de Brito (Bangu 6) é outro ponto de tensão.

Os defensores querem que a unidade, conhecida como Bangu 6, fique apenas com os traficantes, para evitar divisão. A Seap colocou o Grupo de Intervenção Tática (GIT) dentro do complexo prisional para tentar coibir possíveis brigas entres os dois grupos.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: