full screen background image




TCE cancelou a licitação das estações do BHS de Niterói

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE) cancelou a licitação que ocorreria na próxima segunda-feira, dia 4, para escolher a empresa que irá implantar as estações de BHS na Transoceânica.

O TCE  adiou  essa licitação que  nem deveria acontecer. Essas estações já constavam no projeto apresentado pela Prefeitura de Niterói em 2013, que subsidiava o pedido de empréstimo a Caixa Econômica para construção de toda a Transoceânica.

Apesar da prefeitura informar que as 11 estações do BHS não faziam parte do projeto original  as estações constavam no projeto e com esta licitação, vai  encarecer, ainda mais, essa obra.

A obra orçada, inicialmente, em R$ 310 milhões, já está custando mais de R$ 400 milhões para o município. E a prefeitura não consegue explicar essa conta.

A Transoceânica que deveria ter sido inaugurada no final do ano passado, três anos e sete aditivos depois de iniciada a obra, com o custo elevado para R$ 384,8 milhões, vai passar dos R$ 420 milhões, com mais R$ 36 milhões previstos para a execução do projeto de onze estações de embarque do corredor BHS (duas foram construídas, uma no Engenho do Mato e outra em Charitas, dentro da primeira licitação).

A SAS Engenharia requereu a impugnação do edital lançado pela prefeitura de Niterói, que deverá gastar mais R$ 36 milhões, fazendo passar dos R$ 420 milhões o valor final do corredor expresso de 9,3 quilômetros ligando o Engenho do Mato, na Região Oceânica, a Charitas, na Zona Sul de Niterói.

A restrição da concorrência a empresas que não tenham em seu portfólio a construção de estações de transferência de passageiros em corredores de BusRapid Transit – BRT, provavelmente poderá beneficiar empresas envolvidas na Operação Lava Jato e em denúncia de pagamento de propinas ao Tribunal de Contas do Município do Rio (TCM), como a Odebrecht e a Carioca Engenharia.

As duas integram dois consórcios construtores das Transcarioca e Transbrasil, no Rio de Janeiro. A primeira via expressa tem 39 quilômetros de extensão e 45 estações entre a Barra da Tijuca (Terminal Alvorada) e o aeroporto do Galeão. A segunda forma um corredor de 23 quilômetros entre os bairros do Caju e Deodoro, e tem um total de 16 estações de BRT.

 




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: