Senado retira propostas anti-Uber e projeto retorna à Câmara

plenário do Senado flexibilizou nesta terça-feira (31) o projeto regulamentador que aproxima as exigências feitas a aplicativos como Uber e seus similares aos táxis. Senadores aprovaram com modificações o texto que veio da Câmara. Foram retirados quatro pontos do texto enviado pelos deputados em abril: a obrigação da placa vermelha, exigência de que os motoristas sejam proprietários dos carros, possibilidade de regulamentação pelas prefeituras e restrição de atuação apenas ao município onde o veículo está registrado.

Devido às alterações feitas no projeto, será necessária nova análise do texto pela Câmara antes da sanção presidencial.

A votação foi marcada por um intenso debate e por confusão no plenário.

Embora houvesse um acordo entre os senadores sobre os trechos a serem alterados, em dado momento da votação havia dúvida sobre o que estava sendo aprovado.

Um dos pontos da polêmica, a exigência da placa vermelha, chegou a ser retirada de um trecho do projeto, mas mantido em outro. O impasse será resolvido por meio de alteração na redação do texto.

O projeto aprovado pelo Senado atendeu a algumas exigências feitas por empresas como Uber, Cabify e 99. Por outro lado, as concessões desagradaram aos taxistas, que defendiam um texto mais rigoroso.

Durante as orientações das bancadas, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) não se posicionou. Ele disse em plenário que o Palácio do Planalto iria “aguardar”.


TAG


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: