Porto da Pedra encerra noite relembrando as clássicas marchinhas de carnaval

Apesar de problemas com carros, a Unidos do Porto da Pedra prometeu e cumpriu: levou para a avenida a magia dos bloquinhos de carnaval, com o enredo “Ó, abre-alas que as marchinhas vão passar! Porto da Pedra é quem vai ganhar… seu coração”.

Com refrão chiclete, o samba-enredo fez quem estava na arquibancada cantar: “sou pierrô, você é a colombina”. As duas figuras clássicas, aliás, integravam a comissão de frente, ao lado do arlequim, com quem formavam o triângulo amoroso mais famoso do carnaval. Logo depois, o carro abre-alas homenageava Lamartine Babo (1904-1963), autor de marchinhas inesquecíveis.

Há cinco anos disputando no grupo de acesso, seus 1.800 componentes, distribuídos em 22 alas ajudaram a desenvolver o enredo entre confetes e serpentinas.

A escola toda vestiu a camisa do enredo. Pablo Gabriel, mestre de bateria em seu primeiro desfile, veio fantasiado de bebezão, uma referência à marchinha “Mamãe, eu quero”. Ele liderava ritmistas fantasiados de “Cabeleira do Zezé”.

Ainda na concentração, um carro teve dificuldade para entrar, o que deixou um buraco no desfile. O primeiro carro da escola deu trabalho para chegar à dispersão. Esses problemas fizeram a Porto da Pedra terminar o desfile em cima da hora, com 55 minutos.




%d blogueiros gostam disto: