Polícia faz operação contra torcidas organizadas e dirigentes de clubes do Rio

Três líderes de torcidas organizadas são presos temporariamente durante a Operação Limpidus, que visa combater ilegalidades cometidas por dirigentes de clubes do Rio e de integrantes de uniformizadas.

O presidente da torcida Young Flu, Manuel de Oliveira Menezes, o vice, Luiz Carlos Torres Junior, e o presidente da Força Flu, Ricardo Alexandre Alves são os alvos. O presidente da Fiel Tricolor, Carlos Roberto de Almeida, está foragido. Na residência dele foram apreendidos documentos e um computador.

A ação da Delegacia de Repressão aos crimes de informatica e do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor ainda busca ainda o cumprimento de oito mandados de condução coercitiva e 13 de busca e apreensão.

Prestam depoimento o vice-presidente de estádios do Botafogo, Anderson Simões e o presidente da Raça Fla, Alesson Galvão.

Na sala do dirigente Alvinegro no Estádio Nilton Santos foram apreendidos dois facões, documentos e um computador. Segundo o Ministério Público, ele aparece em escutas telefônicas combinando a entrega de ingressos para integrantes da Fúria Jovem, que está impedida de frequentar estádios desde setembro.

Buscas já foram feitas também no estádio do Vasco, em São Januário, e na sede do Fluminense, em Laranjeiras.

As investigações identificaram o desvio de ingressos para cambistas e o descumprimento de decisões judiciais. De acordo com o inquérito, os clubes fornecem ingressos às torcidas organizadas, que acabam sendo desviados para o cambismo.

Outra ilegalidade por dirigentes de clubes da Capital Fluminense é o financiamento de torcidas organizadas já penalizadas com medidas de afastamento. Para o MPRJ, as condutas estariam fomentando a violência nos estádios.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: