Petrobras recomeça as obras no Comperj ainda no 2º semestre

Um grupo formado por prefeitos do Leste Fluminense se reuniu nesta quinta-feira (16) com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, no Centro do Rio, em busca de soluções para a crise que afetou as cidades desde a suspensão das atividades do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Agendado pelo prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, o encontro reuniu, além dele, chefes do Executivo de Itaboraí, Sadinoel Souza, e de São Gonçalo, José Luiz Nanci, entre outros.

De acordo com Neves, a reunião mostrou que a união entre os municípios e que o diálogo constante com a estatal são duas das principais formas de superar o quadro atual. “Os prefeitos apresentaram uma pauta com três pontos relacionados à retomada dos investimentos do Comperj, da indústria naval do Rio e ao pagamento de royalties”, revelou Rodrigo.

Gás – Sobre o Comperj, prefeito de Niterói disse que o presidente da Petrobras explicou a necessidade de a unidade de processamento de gás do complexo entrar em operação em 2020 e que há, no momento, 23 licitações em curso. Aos prefeitos, Parente informou que o investimento será da ordem de cerca de R$ 6 bilhões, com estimativa de geração de 5 mil empregos ao longo de três anos. Ele adiantou ainda que o início dos trabalhos se dará já no segundo semestre.

Outro ponto abordado foi sobre a cobrança, por parte da Petrobras, de investimentos não previstos pela empresa e que são descontados no repasse de royalties aos municípios. Parente garantiu que esses descontos não serão feitos sem um prévio comunicado aos municípios. O presidente da estatal também anunciou o crescimento da produção da Petrobras.

Ao término do encontro, Rodrigo Neves falou sobre o reinício das negociações: “Há quase dois anos não havia qualquer mesa de diálogo dos municípios da Região Leste com a Petrobras. Esperamos que esses investimentos realmente possam ocorrer para a retomada do desenvolvimento e geração de emprego e renda na nossa região. Por outro lado, asseguramos junto ao presidente Pedro Parente que esse diálogo, retomado no encontro de hoje, será, daqui para frente, constante.”

O prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci, espera que não só os investimentos sejam reiniciados como a Petrobras auxilie os municípios em relação às áreas ocupadas por trabalhadores do Complexo e que, agora, estão desempregados: “Além da questão econômica, estamos sofrendo um problema social. Construíram uma estrada de dez quilômetros cortando o município e que foi abandonada. Com isso, começaram a surgir moradias em suas margens”, disse Nanci.

Sadinoel Souza, de Itaboraí, avaliou que a retomada dos trabalhos no complexo é importante, porém, ressaltou que apenas a planta de gás que foi anunciada é insuficiente para resolver os problemas gerados pela suspensão das atividades do complexo. “O encontro foi importante e o presidente da Petrobras foi realista. Estamos felizes com o anúncio da planta de gás e do aumento da produtividade. Mas essa planta apenas é muito pouco para resolver os problemas. Pode parecer muito um investimento de R$ 6 bilhões, mas não é suficiente. Esse investimento vai ser mais sentido somente em Itaboraí, mas terá pequeno impacto nos demais municípios. E nós queremos que todos sejam beneficiados”, analisou Sadinoel.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: