MPE acusa Cabral, ex-secretários e empreiteiras por fraudes na Linha 4 do metrô

A ação civil pública cobra a devolução de mais de R$ 3 bilhões

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro entrou com uma ação civil pública contra o ex-governador Sérgio Cabral, três ex-secretários de Transportes, servidores e empreiteiras por improbidade administrativa.

Os promotores pedem a devolução de mais de R$ 3 bilhões ao tesouro estadual referentes as irregularidades cometidas no contrato de implementação da Linha 4 do metrô. Além disso, o MPRJ pede a condenação dos réus ao pagamento de danos morais coletivos causados aos cidadãos fluminenses no valor mínimo de R$ 30 milhões.

Os ex-secretários estaduais de Transportes Julio Lopes, Carlos Roberto Osório e Luiz Carlos Velloso; além das empresas como Odebrecht, Queiroz Galvão, Carioca Engenharia e Servix; os consórcios construtores Rio Barra e Linha 4 Sul (CL4S); e membros da administração da estatal RioTrilhos e da AGETRANSP (agência reguladora de transportes do Estado do Rio) foram representados pelo MPE.

Entre as irregularidades estão superfaturamento e sobrepreço, pagamento de serviços sem valor fixado contratualmente, aumento global de serviços. Também está em curso no MPRJ um inquérito civil sobre as obras da estação Gávea, prevista para estar concluída em janeiro de 2018, temporariamente paralisada.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: