Migração de AM para o FM é prioridade das Comunicações

O novo ministro das Comunicações, André Figueiredo, afirmou na terça-feira, 6, que suas prioridades à frente da pasta são os processos de migração das rádios AM para o FM e a mudança do sinal analógico de TV para o digital.

Figueiredo substitui Ricardo Berzoini, nomeado para a Secretaria de Governo. Segundo Figueiredo, o Ministério das Comunicações vai priorizar o diálogo para encontrar um preço justo a ser pago pelos radiodifusores que adquirirem as outorgas de FM. Mais de 1.300 rádios AM pediram ao ministério a mudança de sinal. O método de cálculo para definir os preços está em discussão pelo MiniCom e passa por um levantamento junto ao setor de radiodifusão.

Na área da TV digital, o objetivo é encontrar soluções para que os brasileiros não fiquem sem o serviço de televisão no processo de desligamento do sinal analógico, que acontece progressivamente entre 2016 e 2018, com um teste-piloto este ano. “Há um desligamento piloto previsto para Rio Verde, em Goiás. Existe uma demanda para que seja postergado, já que há uma determinação de que 93% dos domicílios tenham acesso ao sinal digital, então vamos dialogar a respeito”, disse Figueiredo.

O ministro das Comunicações também falou sobre as iniciativas de inclusão digital. Os esforços da pasta serão em levar a internet para as áreas do interior do país. “Nós estaremos tendo como premissa básica a inclusão digital. Queremos que milhões de brasileiros possam estar integrados digitalmente, principalmente as regiões mais longínquas, principalmente o Norte e o Nordeste, onde há uma disparidade muito grande”, ressaltou.

O cearense André Peixoto Figueiredo Lima nasceu em Fortaleza em 10 de novembro de 1966. É formado em Economia e em Direito pela Universidade Federal do Ceará e pós-graduado em Comércio Exterior pela Universidade de Fortaleza. Deputado Federal em 3 legislaturas, também foi subsecretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do Ceará em 1994 e secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Emprego entre 2007 e 2010.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: