full screen background image




Mesmo com o corte de gastos o Rio de Janeiro o espetáculo não deixou a desejar.

O Réveillon de Copacabana encantou cerca de 2 milhões de pessoas que celebraram a chegada de 2017 na maior festa à beira-mar do mundo. Cariocas e turistas vibraram com o tradicional espetáculo de cores, luzes e desenhos que enfeitaram o céu durante 12 minutos. No palco montado em frente ao Copacabana Palace, integrantes das baterias das escolas de samba Unidos da Tijuca e Mangueira embalaram o público após o espetáculo de luzes e cores.

A beleza dos desenhos no céu e a fácil identificação de seus contornos (corações, palmeiras, margaridas, carinhas felizes, crisântemos) formaram uma atração especial. A explosão dos fogos em sincronia com a melodia “Samba do Avião”, de Tom Jobim, desde o primeiro segundo do novo ano, garantiu a empolgação das pessoas. À meia-noite, foram queimadas 18 toneladas de fogos de artifício, distribuídas em 11 balsas, com efeitos multicoloridos, destacando as cores verde, amarelo, lilás, rosa, dourado e branco.

Antes da virada do ano, o destaque da noite foi a apresentação do trio formado por Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo, que celebra 20 anos de parceria entre os artistas nordestinos. O musical “O Grande Encontro” fez o público cantar, dançar e se embalar com os sucessos musicais eternizados nas vozes dos três artistas. No repertório, “Anunciação”, “Caravana”, “Sabiá”, “Me dá um beijo” e a melodia “Chega de saudade”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, em performance preparada especialmente para o réveillon. Elba surpreendeu o público ao chamar até o palco dois refugiados da Síria: mãe e filho pediram paz e o fim do conflito no Oriente Médio.

O trio encerrou a apresentação com a interpretação de “Táxi Lunar”, a inédita “Ciranda da Traição” e os clássicos “Pelas Ruas Que Andei”, “Banho de Cheiro” e “Frevo Mulher”. O trio contou com o acompanhamento de Marcos Arcanjo, Paulo Rafael (violões e guitarras), Ney Conceição (baixo), Meninão (sanfona), César Michiles (flauta), Anjo Caldas (percussão) e Cássio Cunha (bateria), com direção de cena de André Brasileiro. Os cenários foram de Gringo Cardia, elaborados a partir de painéis do artista plástico baiano J. Cunha.

Os shows musicais começaram às 18h, com o cantor Alex Cohen, que levou ao palco o seu repertório eclético e dançante, misturando influências mais antigas com canções da atualidade. Cohen levantou a plateia com solos de guitarra e hits para agradar o público de todas as idades. Um dos maiores nomes da cena carioca, o DJ MAM se apresentou em seguida. MAM ganhou o prêmio Noite Rio de melhor DJ de MPB/Regional em 2012 e 2014, e também é o autor de Redentor, música tema da comemoração dos 80 anos do Cristo.

A programação seguiu com o cantor Leo Jaime, que comemorou 32 anos de carreira com o show Leo Guanabara, em que relembrou seus sucessos musicais. Além de matar a saudade do público de grandes hits como Rock Estrela, As Sete Vampiras, Solange, Sônia, Nada Mudou e A Fórmula do Amor, ele também apresentou novos trabalhos e clássicos de amigos e ídolos que o influenciaram como Legião Urbana, Stones, Raimundos, The Cure, Leoni e Marina, entre outros.

Para facilitar a mobilidade do público, que desde cedo já chegava à Praia de Copacabana para a festa, as interdições na região começaram às 7h deste sábado (31/12), com implantação de área de lazer e a inversão da mão na pista junto aos prédios. A operação de trânsito e transporte contou com a participação de 905 agentes da prefeitura, entre guardas municipais e controladores de tráfego, 77 viaturas e 60 motocicletas, que trabalharam para manter a fluidez, coibir o estacionamento irregular, ordenar os cruzamentos, orientar pedestres e efetuar os bloqueios necessários. Também foram utilizados 26 painéis de mensagens variáveis que informaram sobre as alterações no trânsito, os horários e locais dos bloqueios e as restrições de estacionamento, além das condições do tráfego.

A Secretaria Municipal de Saúde montou um esquema especial de atendimento para o público durante a noite de réveillon. Quatro postos médicos estiveram à disposição da população, com 120 profissionais de saúde, sendo 40 médicos, 32 leitos, oito deles de suporte avançado, além de 36 poltronas de hidratação. Os casos mais graves, que necessitaram de remoção, contaram com 23 ambulâncias de suporte avançado e nove de suporte básico. Os postos estiveram localizados na altura da Praça do Lido, e das ruas República do Peru, Santa Clara e Xavier da Silveira.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: