Mané Garrincha dá sorte e Botafogo é campeão da Série B

1O estádio construído na Capital do Brasil leva o nome do maior ídolo da história do Botafogo, Mané Garrincha. Curiosamente, não fica no Rio de Janeiro, sede da equipe, mas foi o palco do título do Fogão no Campeonato Brasileiro da Série B. O Alvinegro levantou a taça na noite desta sexta-feira, quando derrotou o ABC pelo placar de 2 a 1, pela penúltima rodada, com gols de Roger Carvalho e William Arão. O coro de “primeira divisão” tomou conta dos minutos finais. Exatamente, o Botafogo está de volta!

O título botafoguense veio com uma rodada de antecedência. Durante todo o torneio, se mostrou como grande favorito. Foi ameaçado em poucos momentos, mas nada que ameaçasse seus objetivos. Isso, porém, não serve como base para 2016. O elenco é modesto e precisa ser melhorado para não enfrentar os mesmos problemas do passado. Líder, o Alvinegro soma 71 pontos, oito a mais do que o América-MG.

Rebaixado, o ABC só cumpria tabela, mas precisava honrar a camisa do maior campeão estadual do Brasil. O Elefante sabia de todas as dificuldades, levou o jogo para Brasília – recebeu R$ 350 mil por isso -, e até jogou de igual para igual. Termina a competição na 18ª posição. Hoje, tem 32 pontos.

O clima era de festa e tensão no Mané Garrincha. A torcida do Botafogo estava angustiada. Será que o título sairia nesta sexta-feira? Tudo indicava que sim. A explosão de alegria veio rápido. O Fogão não queria deixar escapar a conquista mais uma vez. Aos oito minutos, Daniel Carvalho colocou a bola na cabeça de Roger Carvalho. O zagueiro só desviou e saiu para o abraço. Saulo, vendado no lance, nada pôde fazer.

Rebaixado, o ABC tem surpreendido nas últimas rodadas e mostrou que não facilitaria ao campeão. Ou seria quase campeão. O susto voltou à boca do estômago num lance isolado do Elefante. Pingo recebeu pelo lado direito de campo e partiu para cima de Giaretta. O atacante rolou para dentro da área. Erivélton aproveitou a desatenção da defesa adversária, pegou de primeira e deixou tudo igual. Eram 23 minutos jogados.

A preocupação durou pouco tempo. O Botafogo não perdeu o foco, seguiu melhor na partida e o talento de seus jogadores acabaram fazendo a diferença. Aos 32 minutos, Neílton recebeu de costas e deixou Willian Arão na frente de Saulo. O meia, um dos destaques dessa Série B, só tirou do goleiro para recolar o Alvinegro na frente novamente

Após o gol, o Botafogo recuou e deixou o ABC trocar passes. Faltou talento para a equipe potiguar chegar com perigo. O jogador mais técnico da equipe, Ronaldo Mendes, tentou de fora da área. Jefferson, seguro, fez a defesa. O goleiro da seleção brasileira dá uma maior tranquilidade ao time.

O segundo tempo foi fraco tecnicamente. A surpresa ficou por conta de Daniel Carvalho. O ex-meia de Inter e Palmeiras não parava de correr. Mostrou ter sangue nos olhos nessa “decisão”. Seria um “pedido” de renovação? Talvez. O fato é que o Botafogo jogou na inteligência, não se desgastou muito e controlou a partida.

Apesar da inferioridade, o ABC não se intimidou e lutou até o fim. Sérgio China tentou animar a equipe, fez as três modificações muito rápido, mas a melhor chance foi na tentativa de Chiclete, que carimbou Giaretta. O Elefante equilibrou na questão posse de bola, porém, nada que fosse muito eficaz.

O tempo não passava, a torcida ficava mais ansiosa e o Botafogo, nervoso, buscava o terceiro gol. Luis Ricardo achou Daniel Carvalho. O meia cruzou forte, mas ninguém chegou para colocar a bola para o gol, que não queria mais sair. Antes do apito final, o coro era de: “é campeão”.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: