Kipsang ganha o bi; Giovani sobe ao pódio em quarto

89ª CORRIDA INTERNACIONAL DE SÃO SILVESTRE 2013O queniano Edwin Kipsang conquistou o bicampeonato da Corrida Internacional de São Silvestre, realizada na manhã desta terça-feira. Giovani dos Santos, superado por outros dois atletas do Quênia, subiu ao pódio na quarta colocação e foi o melhor brasileiro. Campeão em 2012, Kipsang venceu novamente com o tempo de 43min48s (extra-oficial). Mark Korir e Stanley Koech completaram o trio de quenianos, seguidos por Giovani dos Santos.

O pódio da São Silvestre foi completado pelo marroquino Abderrahime. Nos primeiros quilômetros da corida, alguns competidores brasileiros se revezaram na primeira colocação, como Carlos Santos, Ederson Pereira e Wellington Silva. Com tranquilidade, os maiores favoritos compuseram um pelotão e passaram a dosar o ritmo de corrida.

Principal esperança do Brasil na prova, Giovani dos Santos procurou se manter entre os africanos. Nas imediações do oitavo quilômetro, ele era acompanhado pelos quenianos Edwin Kipsang, Mark Korir e Stanley Koech, além do etíope Fidaku Dinbushe. Empresariados e treinados na cidade paranaense de Nova Santa Bárbara pelo brasileiro Moacir Marconi, mais conhecido como Coquinho, os compatriotas Edwin Kipsang, Mark Korir e Stanley Koech brigavam pela primeira colocação na altura do Teatro Municipal, deixando Giovani para trás.

Ganhador da edição do ano passado da prova paulistana, Kipsang assumiu a condição de favorito dias antes da corrida e provou isso na prática. Ele superou os dois compatriotas e subiu a temida Brigadeiro Luís Antônio sozinho na primeira colocação. Com autoridade, Edwin Kipsang construiu uma vantagem segura em relação ao segundo colocado. Controlando o próprio tempo no relógio de pulso, o queniano olhou para atrás antes de virar à direita na Avenida Paulista e acelerou ainda mais para cruzar a linha de chegada.
Com mais uma vitória africana na Corrida Internacional de São Silvestre, o jejum de competidores brasileiros na prova aumenta, já que o último local a vencer foi Marílson Gomes dos Santos, no ano de 2010. Em 2014, a prova organizada pela Fundação Cásper Líberada chegará à sua 90ª edição ininterrupta.

Queniana supera barreira e fatura S. Silvestre pela 1ª vez

Nancy Kipron havia chegado à São Silvestre na condição de favorita em algumas oportunidades sem conseguir corresponder à expectativa – uma “barreira psicológica” com a prova, de acordo com seu técnico. A história mudou na manhã de terça-feira, com uma vitória tranquila da queniana na tradicional corrida de rua de São Paulo. A melhor brasileira foi Sueli Pereira, sexta colocada. Na 89ª edição da disputa, Nancy se desgarrou das concorrentes por volta do décimo quilômetro. Pouco antes disso, ela vinha polarizando a disputa com Sara Makera, da Tanzânia, que acabou ficando para trás. No início da subida da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, já estava claro que a tal barreira seria finalmente superada.

A atleta número cinco completou o percurso em 51min59. A etíope Kebede Gudeta chegou a encurtar um pouco a diferença no fim da Brigadeiro, mas não conseguiu ameaçar de fato a líder, fechando a prova em 52min10. Vinte segundos depois, cruzou a linha final a queniana Jackeline Sakilu. A campeã, que treina em Nova Santa Bárbara, no interior do Paraná, já havia sido a primeira colocada em outras provas relevantes do Brasil, como a Volta da Pampulha e a Meia Maratona do Rio de Janeiro. Faltava um triunfo na São Silvestre, corrida na qual ela chegou a chorar em 2011. No ano passado, ela foi só a oitava colocada. O resultado ampliou o jejum das brasileiras, que venceram pela última vez em 2006, com Lucélia Peres.

A nova tentativa de encerrar o período sem vitórias acontecerá em 31 de dezembro de 2014, quando a corrida completará nove décadas de edições ininterruptas.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: