full screen background image




Juíza nega pedido de Dilma e parlamentares para visitar Lula na prisão

Em rede social, a presidente do PT chama a decisão de arbitrária

A Justiça Federal negou um pedido protocolado pela ex-presidente Dilma Rousseff  e de uma comissão de deputados para visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão nesta segunda-feira (23). O petista está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 7 de abril.

A decisão partiu da juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, responsável pela supervisão da prisão de Lula. Ao negar o pedido, ela destacou que a visita é autorizada apenas para parentes e advogados, regra válida para todos os detentos devido à limitação da unidade, que realiza outras atividades administrativas no local.

Os parlamentares aliados alegavam a necessidade de fiscalizar a execução do encarceramento no âmbito da Comissão de Direito Humanos e Participação Legislativa do Senado Federal. Analisando o caso, a juíza lembrou que foi realizada diligência há seis dias e que por isso “nao á justo motivo ou necessidade de renovação de medida semelhante”.

Nos últimos dias foram negadas também as visitas do teólogo Leonardo Boff e do escritor argentino Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1980.

Encontro de ex-presidentes

O Ministério Público Federal (MPF) chegou a enviar um documento para a Justiça Federal onde pede que Dilma não encontre com Lula na prisão. No documento, o procurador regional Januário Paludo afirma que as visitas de familiares “devem prevalecer em relação às de amigos”.

Outro ponto apresentado por Paludo é de que segunda-feira não é o dia de visitas ao ex-presidente. O procurador escreveu dizendo que “não é viável a fixação ou a elasticidade de horário diferenciado para visitas ao custodiado Luiz Inácio Lula da Silva, seja por conveniência da administração, seja para se criar injusto discrímen em relação aos demais custodiados ali recolhidos”.

A presidente do PT, senadora Gleisi Roffmann, criticou a decisão em perfil pessoal no Twitter. “Prepotente, arbitrária, ilegal a decisão judicial que nos impede de visitar Lula! Não estamos na normalidade política, institucional. A democracia está morrendo no Brasil!”, escreveu.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: