Flu decepciona, empata em casa pela Copa do Brasil

A crise tricolor só aumenta. Nesta quarta-feira, o Fluminense empatou com Ypiranga-RS: 1 a 1, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Um resultado longe de acalmar os ânimos nas Laranjeiras. A torcida – pouco mais de 800 presentes – vaiou o time no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Na terça, em protesto na sede, torcedores tentaram invadir a sede e até atiraram uma pedra no ônibus que levava os atletas.
O Fluminense decepcionou em campo mais uma vez, sobretudo no primeiro tempo, quando começaram as vaias ao time. A melhora na etapa final não foi suficiente para a virada. Cícero perdeu um pênalti. A turbulência nas Laranjeiras deve aumentar.

Com o empate em casa, o Fluminense terá de ganhar o jogo de volta, no dia 27, ou empatar a partir de 2 a 2. Até lá, o Tricolor vai tentar acabar de vez com a turbulência e melhorar no Brasileiro. O próximo compromisso é contra o Vitória, neste domingo, às 19h30, no Barradão.

O jogo

O Fluminense tomou a iniciativa do jogo. Com mais posse de bola, tentava encurralar o rival, mas encontrava problema para criar. O técnico Levir Culpi precisou fazer a primeira mudança logo aos 18 minutos: Wellington Silva sentiu um problema muscular e deu lugar a Jonathan. A situação tricolor ficou pior. O Ypiranga um contra-ataque e abriu o placar com João Paulo. No lance, o Ypiranga desceu em vantagem númerica: eram três jogadores contra dois do Flu.

A maré de azar tricolor aumentou quando Gustavo Scarpa precisou sair. O meia sentiu um problema no joelho direito e foi substituído por Dudu. O Flu ainda levou três sustos no primeiro tempo (um chute para fora e duas defesas de Cavalieri).

A torcida do Fluminense, já no primeiro tempo, passou a vaiar a alguns jogadores, como Cavalieri, Gum, Henrique e Osvaldo. O time tricolor foi para o intervalo sob gritos de insatisfação dos torcedores.

A conversa no vestiário surtiu efeito. O Fluminense partiu para cima do Ypiranga. Gum, após cobrança de escanteio, acertou o travessão. Logo depois, Osvaldo saiu cara a cara com Carlão. Ele encobriu o goleiro e a baliza. O empate aconteceu aos dez minutos. Jonathan cruzou da direita, Cícero escorou para Magno Alves completar para o fundo da rede: 1 a 1.

Levir Culpi fez a última mudança e lançou o Fluminense ao ataque, com Richarlison na vaga de Pierre. Magno Alves quase virou o placar – o chute passou perto. O árbitro Wanderson Alves de Souza deu uma “ajudinha” ao Flu e marcou pênalti em lance em que Jonathan cruzou e a bola bateu no braço, colado ao corpo, de Mikael. Cícero, porém, perdeu a cobrança – Carlão defendeu.

O Fluminense não teve forças para virar: a crise aumenta nas Laranjeiras…

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 1X1 YPIRANGA-RS

Estádio: Raulino de Oliveira
Público e renda: 492 pagantes / 832 presentes / R$ 12.220,00
Árbitro: Wanderson Alves de Souza
Gols: João Paulo (Ypiranga, aos 24′ do 1ºT) e Magno Alves (Fluminense, aos 10′ do 2ºT)
Cartão amarelo: Jonathan e Pierre (Fluminense) e João Paulo e Henrique (Ypiranga)
Cartão vermelho: –

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Wellington Silva (Jonathan, aos 18′ do 1ºT), Gum, Henrique e William Matheus; Pierre (Richarlison, aos 18′ do 2ºT), Douglas e Cícero; Gustavo Scarpa (Dudu, aos 28′ do 1ºT), Osvaldo e Magno Alves; Técnico: Levir Culpi.

YPIRANGA: Carlão; Márcio Lima, Negretti, Gustavo Miranda e Sander; Jessé, Robson, Danilinho (Henrique, aos 29′ do 2ºT) e Mikael; Túlio Renan (Raphael Alemão, aos 36′ do 2ºT) e João Paulo (Léo, aos 41′ do 2ºT); Técnico: Leocir Dall’Astra.


TAG


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: