Flamengo 4 x 0 Botafogo: Sem pena do rival, Fla goleia o Botafogo com show da torcida no Maracanã

00Atuação digna de título. Nem mesmo o torcedor mais otimista esperava o resultado do jogo desta noite. Com três gols de Hernane, o Flamengo goleou o Botafogo por 4 a 0 em um Maracanã cheio e deixou a massa rubro-negra em êxtase com a partida. Sobrou até para Léo Moura a oportunidade de deixar a sua marca no dia em que completa 35 anos. No Botafogo, a substituição de Seedorf no meio do segundo tempo traduziu a sua participação na partida, deixando agora preocupada uma torcida acostumada com o rótulo de cavalo paraguaio.

Desde o início da semana, Flamengo e Botafogo foi o assunto mais comentado do Rio de Janeiro. O público que encheu o Maraca chegou com a promessa de um jogão, e a confirmação dessa expectativa veio logo no primeiro tempo. Com um início promissor, a equipe de General Severiano começou a partida controlando a bola, contando com a boa movimentação de Lodeiro pelos lados do campo. Seedorf tentava alguns lançamentos, mas sempre com muita força e errando o alvo.

Mesmo acuado no início do jogo, foi o Flamengo que teve as melhores chances do primeiro tempo e construiu o placar com tranquilidade. Antes do primeiro gol de Hernane, Paulinho e Carlos Eduardo chegaram com muito perigo, aos 9 e 19 minutos, respectivamente, e por pouco não venceram o goleiro Jefferson. O primeiro foi escalado por Jayme de Almeida na ponta esquerda, surpreendendo a zaga do Botafogo. Gilberto, que substituiu Edilson, teve muito trabalho com o rubro-negro e foi driblado em alguns lances.

O primeiro gol do jogo veio com uma pitada de sorte. Após uma cobrança de falta aos 20 minutos, Marcelo Mattos tentou afastar o perigo, mas acertou Rafael Marques dentro da área. Hernane, oportunista, pegou de canhota e mandou a bola para o fundo das redes. O Glorioso sentiu o golpe e perdeu o controle da partida, demonstrando um nervosismo com a desvantagem no placar.

Aos 33 minutos, Hernane ampliaria o placar, novamente mostrando um bom posicionamento na área. André Santos puxou o ataque pelo meio e tocou em profundidade para Paulinho, que invadiu a área e tocou na saída de Jefferson. O goleiro defendeu bem o chute, mas a bola sobrou para Hernane, que novamente com a perna esquerda, marcou o segundo gol do Flamengo na partida. Detalhe é que nos dois lances o artilheiro não pegou em cheio na bola, mas fez o suficiente para ganhar a disputa com Jefferson.

No intervalo, Oswaldo colocou Sassá na partida, voltando com Rafael Marques para a ponta esquerda e recuando Gegê no lugar de Marcelo Mattos. O início ainda foi um pouco promissor, porém rapidamente percebeu-se que não era o dia do Botafogo. Com um Seedorf apático e um time sem forças para reagir, restou ao Flamengo construir a goleada.

Com 13 minutos, André Santos foi à linha de fundo e colocou a bola na área. Doria, que marcava Hernane, tentou acompanhar a bola e ficou perdido na jogada. O Brocador, sem marcação, apenas teve o trabalho de escorar de cabeça e completar seu hat-trick na partida. O artilheiro do Novo Maracanã e goleador dos clássicos em 2013, muito criticado pela falta de habilidade, definiu uma classificação heroica para o Flamengo.

Mas ainda dava tempo para aumentar o marcador. Com 25 minutos, Hernane entrou cara a cara com o goleiro Jefferson após contra-ataque rápido. Quando se preparava para finalizar, Doria o tocou por trás e cometeu o pênalti, sendo expulso na sequência. Esperava-se que o goleador pegasse a bola para marcar um antológico quarto gol, mas ele brindou o grande homenageado da noite: Léo Moura, que completou 35 anos hoje. Com uma cobrança perfeita, o jogador ganhou os parabéns de uma massa apaixonada e decidiu uma goleada história no Maracanã.

O resto da partida mostrou um Botafogo já sem torcida no estádio e com um jogador a menos apenas esperando a partida se encerrar. A torcida do Flamengo não parou mais de cantar até o apito final de Paulo Cesar de Oliveira aos 46 minutos do segundo tempo. Os quase 59.000 presentes, em maioria rubro-negra fizeram a festa e acenderam a chance de recuperar um ano quase perdido. Nas semifinais da Copa do Brasil, a equipe vê a vaga na Libertadores mais próxima.

Para o Botafogo, resta saber se a equipe vai reagir bem à derrota, algo que não aconteceu quando disputava ponto a ponto até ser goleado pelo Cruzeiro. Uma torcida em êxtase contra uma torcida completamente preocupada. Esse choque de emoções definiu o clássico no Maracanã.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: