Flamengo 1 x 1 Vasco: Tudo igual

003Faltou criatividade no Mané Garrincha. Flamengo e Vasco fizeram um jogo de muita marcação, especialmente no 2º tempo, e não conseguiram sair do empate em 1 x 1. O rubro-negro abriu o placar ainda no 1º tempo, com Hernane, mas o Vasco voltou veloz na segunda etapa e empatou com Willie logo no começo. Depois disso, a partida ficou muito pegada e as chances de gol foram escassas.

Com Jhon Cley no lugar do contundido Dakson, o Vasco repetiu no 1º tempo a mesma formação dos jogos anteriores: marcação bastante recuada, tentando achar a oportunidade do contra-ataque. Com Léo Moura homenageado antes da partida, pelas marca de 450 jogos com a camisa rubro-negra, o Flamengo veio mais animado. Aos 4 minutos, Elias chutou cruzado de longe e a bola encontrou o caminho de Hernane na área. O atacante se esticou todo, mas o toque saiu pela linha de fundo.

O Flamengo só foi achar um espaço de novo aos 26 minutos. Paulinho subiu pela direita e arriscou de longe, à esqueda de Diogo Silva. Aos 30 minutos, o mesmo Paulinho aproveitou que a zaga vascaína tinha ido à área rubro-negra em cobrança de escanteio e puxou contra-ataque pela esquerda. Já na área, ele trouxe para o pé direito e serviu Hernane no meio, mas o chute saiu em cima do goleiro vascaíno.

Era só questão de tempo até o oportunismo de Hernane dar resultado. E isso aconteceu aos 33 minutos: Cris errou o tempo do corte de uma bola lançada para o lado direito, e acabou sobrando para Paulinho. Com bastante liberdade, o atacante cruzou rasteiro para Hernane, na pequena área, que só teve trabalho de empurrar para o gol e abrir o marcador no clássico.

Dorival Júnior tentou dar mais gás para o Vasco no intervalo, trocando a experiência de Juninho e Edmílson pela velocidade de Willie e André. Mas foi o Flamengo quem teve a primeira chance da segunda etapa, aos 6 minutos, em cobrança de falta colocada de Chicão que tirou tinta da trave direita de Diogo Silva.

Só que não tardou para a mexida de Dorival surtir efeito. Aos 8 minutos, Willie foi lançado em velocidade nas costas da zaga. Ele invadiu a área e ficou cara a cara com Paulo Victor, tendo calma para tirar do goleiro e empatar tudo no Mané Garrincha: 1 x 1.

A partir daí, começou a sobrar disposição e faltar futebol. Aos 11 minutos, Fágner colou na marcação de João Paulo e reclamou de uma cotovelada. O árbitro serenou os ânimos na conversa. Já aos 16 minutos, não teve papo: o juiz expulsou Dorival Júnior depois do técnico vascaíno cobrar, muito irritado, um cartão amarelo para Wallace, que havia segurado a bola com as mãos ao cair no meio de campo.

O time cruzmaltino passou a adiantar sua marcação, aproveitando-se da juventude de seu ataque para pressionar a saída de bola do Flamengo. Aos 27 minutos, o Vasco teve sua melhor chance no 2º tempo. Jhon Cley desarmou Léo Moura e abriu com Yotún, que invadiu a área e chutou cruzado, assustando Paulo Victor.

Depois disso, a forte marcação dos dois times prevaleceu até os minutos finais. O empate acabou sendo um resultado justo pelo futebol apresentado nas duas equipes, mas não foi agradável para ninguém. O Flamengo perdeu a chance de subir algumas posições na tabela e tornar mais vivo o sonho do G-4. Já o Vasco acabou permanecendo no Z-4, a um ponto do São Paulo, primeiro time fora do rebaixamento.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: