Fla vence o Goiás, de virada, e vai encarar o Atlético-PR

00O Flamengo está na finalíssima da Copa do Brasil 2013. O time se reergueu depois da saída de Mano Menezes, deu a volta por cima dom Jayme de Almeida e chega soberano a sua sexta decisão do segundo torneio mais importante do futebol brasileiro. Curiosamente, a remontada rubro-negra teve início depois de uma goleada sofrida em casa para o Atlético-PR – que será o adversário da final e dará ao time a oportunidade de fechar o ano lavando a alma de todas as maneiras possíveis.

O Goiás chegou até a dar a impressão de que faria jogo duro e correria atrás do prejuízo sofrido na derrota por 2 a 1 no Serra Dourada, na semana passada. Saiu na frente com cinco minutos, com Eduardo Sasha. Mas o Fla não se abateu, correu atrás e conseguiu a virada: 2 a 1, gols de Hernane e Elias. Atuação destacada, aliás, do volante rubro-negro, que comandou o time em campo e dedicou seu gol ao filho Davi, que esteve internado com uma pneumonia.

Das cinco decisões disputadas até aqui, o Flamengo venceu duas (contra o Goiás, em 1990, e o Vasco, em 2006). Em 1997 (Grêmio), 2003 (Cruzeiro) e 2004 (Santo André) a equipe da Gávea ficou com o vice-campeonato. O primeiro jogo da decisão acontece no dia 20 de novembro, em Curitiba. A volta será no dia 27, no Maracanã.

Susto e virada em apenas 24 minutos

Parecia que seria uma noite de tensão para os 49.421 rubro-negros presentes ao Maracanã. Com apenas cinco minutos de jogo, em um lance corriqueiro, Eduardo Sasha subiu no terceiro andar para desviar de cabeça uma cobrança de falta e abrir o placar para o Goiás: 1 a 0 para os visitantes.

O placar ainda não era o suficiente para a classificação esmeraldina, mas o time preferiu recuar e esperar o adversário para tentar um contra-ataque mortal. Se enganou quem achou que o gol tão cedo na partida abalaria o dono da casa. Empurrado pelos torcedores, que só pegavam no pé do desligado Carlos Eduardo, o Fla foi para cima, não se intimidou e pressionou até conseguir o empate.

Mais uma vez, brilhou a estrela do Brocador: Hernane recebeu de Elias, totalmente livre, e mostrou toda a sua categoria com um toquezinho de classe por cima de Renan: 1 a 1 aos 14 minutos.

Com uma vantagem confortável obtida no primeiro jogo, o Flamengo poderia ter optado por relaxar, mas não. O time seguiu dominando totalmente um Goiás que não conseguia reagir, sequer passava da linha do meio-campo, e a virada parecia apenas questão de tempo. De fato, foi. Dez minutos mais tarde, Elias recebeu na quina da grande área, dominou, girou e bateu sem chances para Renan: 2 a 1.

Depois disso, bastou ao time da casa administrar a vantagem com relativa tranquilidade. A pressão já não era mais a mesma e a melhor chance saiu aos 32 minutos, com Paulinho, que ficou com a bola após uma saída de contra-ataque errado e mandou por cima do gol de Renan. Nos minutos finais o Goiás ainda ensaiou alguma reação, mas não chegou a conseguir nenhuma finalização de perigo.

Administrando a vantagem

Talvez acomodado com a vantagem, o Fla voltou para o segundo tempo em marcha reduzida. Com Wellington Júnior no lugar de Roni, o Esmeraldino partiu para o tudo ou nada e chegou a assustar Paulo Victor. Mas só assustar, porque trabalho mesmo foi pouco.

As melhores chances foram criadas por Júnio Viçosa, aos 14 minutos. Aos 19, Renan Oliveira mandou na rede pelo lado de fora. Um minuto depois, Wellington Júnior perdeu a melhor chance de empate do Esmeraldino, ao não dominar ótimo passe de Thiago Mendes. Rodrigo também teve uma chance, de cabeça, mas mandou por cima do gol.

Mas a melhor oportunidade de gol do segundo tempo mesmo foi do Flamengo, e não foi apenas uma chance, foi gol, mas anulado. Em ótima jogada de Elias, o volante cruzou na medida com curva para Hernane, que apareceu livre na segunda trave e empurrou para o fundo das redes. Erradamente o assistente apontou impedimento, mas Rodrigo dava clara condição ao Brocador.

Já na reta final da partida, quando o Goiás ainda lutava, mas já não tinha forças para uma ofensiva final, precisando de dois gols, o Flamengo teve campo livre para trabalhar nos contra-atraques. Aos 40 minutos, Paulinho teve chance incrível de fechar o caixão, recebendo de Léo Moura com o gol livre para se consagrar, mas isolou por cima do travessão.

Nada que abalasse a felicidade da torcida, que cantava alto nas arquibancadas e até aplaudiu o jogador pela tentativa fracassada. Bastou administrar o resultado até o apito final: 4 a 2 no placar agregado e mais uma decisão de Copa do Brasil no caminho do Fla, que, de um time desacreditado, pode fechar o ano com um título e a vaga para a Libertadores em 2014.

FLAMENGO 2 X 1 GOIÁS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden – RS (FIFA)

Auxiliares: Carlos Berkenbrock – (SC) e Carlos Augusto Nogueira Júnior – (SP)

Renda e público: R$ 3.375.410,00 / 49.421 pagantes

Cartões amarelos: Carlos Eduardo, Luiz Antonio (FLA);

GOLS: Eduardo Sasha, aos 4’/1ºT (0-1); Hernane, aos 13’/1ºT (1-1); Elias, aos 24’/1ºT (2-1)

FLAMENGO: Paulo Victor; Léo Moura, Wallace, Chicão e André Santos; Amaral, Luiz Antonio, Elias e Carlos Eduardo (Diego Silva, aos 21’/2ºT); Paulinho (González, aos 44’/2ºT) e Hernane. Técnico: Jayme de Almeida.

GOIÁS: Renan, Vitor, Ernando, Rodrigo e Mário Sérgio; Amaral, David, Eduardo Sasha (Júnior Viçosa, aos 13’/2ºT), Roni (Wellington Júnior, intervalo) e Renan Oliveira e Thiago Mendes; Roni. Técnico: Enderson Moreira.

 




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: