full screen background image

Ex-secretário de Obras do Rio volta a ser preso na Lava Jato

Oex-secretário municipal de Obras do Rio nas duas gestões do ex-prefeito Eduardo Paes, Alexandre Pinto, voltou a ser preso por agentes da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF), nesta terça-feira (23), na Operação Mãos à Obra, a pedido da Lava Jato. Ele já havia sido preso, em agosto passado, durante a Operação Rio 40 Graus. Na oportunidade, Pinto foi detido em casa, localizada em um condomínio de luxo na Taquara, Zona Oeste da capital fluminense. Em novembro, foi solto.

Além dele, outras cinco pessoas são alvo da ação, no Rio e em São Paulo, entre eles Vagner de Castro Pereira, ex-subsecretário municipal de Obras e presidente da Comissão de Licitações da secretaria, e o doleiro Juan Luís Bertran Bittlonch.

Dessa vez, de acordo com informações do portal G1, a investigação é sobre um esquema de propinas envolvendo obras do BRT TransBrasil. O sistema de transporte rápido que ainda é construído no Rio tem custo previsto de R$ 1,4 bilhão.

Quando da Operação Rio 40 graus, o Ministério Público Federal investigava um grupo suspeito de receber R$ 35,5 milhões em propina de obras públicas. As apurações tiveram como base a delação da empreiteira Carioca Engenharia.

Segundo delatores, era cobrada propina nas obras do corredor de ônibus Transcarioca, que custou R$ 2 bilhões, e nas de drenagem de córregos da Bacia de Jacarepaguá, com custo estimado em R$ 230 milhões.

À época, o MPF apontou o ex-secretário de Obras como suspeito de pedir 1% do valor das obras. Uma pessoa ligada ao Ministério das Cidades também recebia 1% do valor das obras, porque elas foram feitas com recursos de Brasília, de acordo com as investigações. As informações são da Agência Brasil.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: