Equipes da Globo são hostilizadas em manifestação

Os primeiros protestos organizados depois da abertura do processo de impeachment contra a Dilma Rousseff reuniram ao menos 83 mil pessoas, de acordo com números da Polícia Militar, em 22 estados no domingo, 13. Em São Paulo, equipes de reportagem da Globo e GloboNews que faziam a cobertura do ato na Avenida Paulista foram hostilizadas por manifestantes. Com gritos “fora PT” e faixas contrárias ao governo, Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram o foco principal da mobilização.

Enquanto acompanhavam a movimentação, repórteres e cinegrafistas da emissora foram ameaçados e ofendidos. Os xingamentos evoluíram e eles chegaram a ser alvo de latas e garrafas de cerveja. As tentativas de agressão, com objetos lançadas pelos participantes, fizeram com o repórter José Roberto Burnier precisasse deixar o local antes do fim da manifestação.

Ao longo da programação, a Globo fez entradas ao vivo para mostrar as novidades sobre as manifestações em diversas capitais, como Rio de Janeiro e Curitiba. Nas primeiras horas da tarde, quem passava as informações era Glenda kozlowski, do ‘Esporte Espetacular’. Poliana Abritta, que apresenta o ‘Fantástico’, seguiu mostrando as atualizações posteriormente.


TAG


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: