Desfile das escolas de Niterói anima público apesar da pouca verba e apoio da Prefeitura.

Na noite desta segunda-feira (27), 16 escolas se apresentaram, na Rua da Conceição para um público aproximadamente 5 mil pessoas de acordo com a Niterói Empresa de Lazer e Turismo S/A (Neltur). Elas foram divididas em três grupos: avaliação, grupo A e grupo B.Nesta terça-feira, mais 15 escolas irão desfilar, à partir das 17h.

A festa também teve a participação da corte momesca formada pelo Rei Momo Kriollo, a Rainha Andressa Ruiva e as Princesas Danny Nascimento e Rafaella Mell.

O primeiro grupo de escolas de samba a entrar na Rua da Conceição, foi o de avaliação, que contou com as agremiações Grilo da Fonte, Tá Rindo Por que? e Unidos do Castro.

Em seguida, o grupo B, com as escolas União do Maruí, Mocidade Independente do Boaçu, Banda Bastião, Unidos da Engenhoca, Amigos da Ciclovia, Unidos do Barro Vermelho, Fora de Casa e Bem Amado desfilaram seus enredos na passarela do samba de Niterói.

Durante a apresentação da Unidos do Barro Vermelho aconteceu um princípio de briga entre um grupo e um homem. Mas, a Polícia Militar e a Guarda Civil logo interviram afastando a confusão.

O último grupo a desfilar foi o Grupo A, com cinco agremiações: Garra de Ouro, Galo de Ouro, Balanço do Fonseca, Mocidade Independente de Icaraí e Bafo do Tigre.

A Balanço do Fonseca apresentou o enredo “As Grandes Maravilhas do Mundo” com alegorias representando as Pirâmides do Egito, a Muralha da China e o Cristo Redentor, presente no último carro da agremiação. “Eu estou há 48 horas sem dormir e uma semana sem almoçar. Tive que estudar muito os monumentos para conseguir representar o enredo. O carnaval de Niterói, assim como no Rio, trabalha com materiais reciclados, mas na nossa cidade a dificuldade é maior. Estou muito agredecido pelo o carnaval de Niterói ter sido mantido”, afirmou emocionado o carnavalesco e coreógrafo Rodrigo Fontes.

Com fantasia de Samurai, o destaque de chão Thiago Almeida corroborou as dificuldades da Balanço da Fonseca. Na concentração, nervoso e emocionado, ele afirmou que foram três meses de muito trabalho para a festa niteroiense. “A escola é maravilhosa, somos um grupo muito unido de amigos e um ajuda ao outro. A minha fantasia eu fiz duas horas antes do desfile, porque lembrei de ajudar a escola e esqueci da minha fantasia, mas agora é só alegria”, confessou.

Penúltima escola a entrar na Avenida, a Mocidade Independente de Icaraí homenageou o cantor João Gabriel. Para o sertanejo, a emoção foi tão grande quanto os shows de réveillon que fez nas praias de Copacabana e de Icaraí. “Ver todo o trabalho de uma escola para contar sua história é uma sensação diferente de tudo. Ainda mais sendo homenageado pelos meus conterrâneos, sou de Santa Rosa e quando era criança soltava muita cafifa no morro do Cavalão”, relembra o cantor.

Apesar da Neltur disponibilizar transportes para as agremiações Acadêmicos do Sossego e Acadêmicos do Cubango, elas não compareceram ao desfile, apesar de receberem verba da Prefeitura para o desfile do Rio de Janeiro.




%d blogueiros gostam disto: