Cubango e Viradouro desfilaram em Niterói

O terceiro e último dia de desfiles da Rua da Conceição, no Centro de Niterói, que adentrou a madrugada desta quarta-feira (10), foi marcado por muita emoção, afinal depois de quase 30 anos, as escolas Cubango e Viradouro voltaram a desfilar em Niterói. A verde e branco da Zona Norte abriu a noite marcada pela disputa entre as agremiações do Grupo Principal, enquanto a Unidos do Viradouro fechou o dia de desfiles. Foram nove escolas de samba que atravessaram a Rua da Conceição na busca pelo título da categoria, o resultado será divulgado nesta quinta-feira, no Clube Canto do Rio. A apuração começa às 16h.

Segundo José Haddad, presidente da Neltur, cerca de sete mil pessoas estiveram na arquibancada do desfile, em cada dia de apresentações.

A Acadêmicos do Cubango coloriu a rua ao reverenciar a água. O liquido sagrado foi tratado com seriedade pelos integrantes que sorriam e cantavam como se estivessem na Sapucaí.

“Estou emocionado de estar aqui com nossa escola, o desfile foi muito especial para mim e agora, vou comemorar com o público da minha cidade, da nossa cidade. Hoje é dia de festa e alegria”, contou Hugo Junior, intérprete da Cubango.

“Estamos contentes com esse retorno. Da última vez que desfilamos aqui, o carnaval nem era comemorado nesta rua. É uma novidade com gostinho de retorno, que agradou a todos e que motivou os integrantes foi estar perto do povo, fazendo um desfile só de diversão, sem a tensão do Sambódromo”, revelou Olivier Vieira, o Pelé, presidente da Acadêmicos do Cubango.

A Viradouro encerrou as apresentações com um desfile compacto, mas cheio de emoção. A rainha de bateria da escola Raíssa Machado foi até a Rua da Conceição, mas passou mal e precisou ser levada ao hospital. A frente da bateria, a corte do carnaval apresentava a escola para os presentes, enquanto o presidente da Câmara dos Vereadores de Niterói, Paulo Bagueira representou a esposa, e rainha de bateria da agremiação, ao lado do mestre Paulinho que regia a orquestra carnavalesca.

Uma das surpresas da noite foi à presença de Jonatan, da São Clemente, que ganhou o estandarte de ouro, como melhor passista masculino do Grupo Especial, pela apresentação na Sapucaí.

“A ficha ainda não caiu, eu não acredito que fui escolhido. Dei o meu melhor para a escola e ainda sou premiado por isso, é uma felicidade muito grande”, contou o rapaz que desfilou pela escola Magnólia Brasil.

Nem a distância atrapalhou a ida dos foliões aos desfiles. Além dos niteroienses, teve gente de Maricá, Itaboraí e São Gonçalo.

“Eu já estive aqui outras vezes, mas esse ano está demais. Os organizadores deram mais atenção ao público, deixaram os foliões mais seguros e confortáveis. Além de trazerem escolas que já passaram pelo Grupo Especial”, disse a foliã e funcionária pública Rosi da Silva.

Nesta terça-feira (9), a Souza Soares, Cacique da São José, Magnólia Brasil, Unidos da Região Oceânica, Folia da Viradouro, Alegria da Zona Norte, Império de Arariboia, Sabiá e a Grupo dos XV desfilaram na Rua da Conceição disputando o título de melhor escola do Grupo Principal.




%d blogueiros gostam disto: