Com gol no fim, Vasco vence Flamengo

O Vasco manteve o bom início de temporada e a escrita positiva ao vencer o Flamengo por 1 a 0 neste domingo. No primeiro clássico em São Januário após 11 anos, o Vasco chegou ao gol da vitória só nos acréscimos, com o zagueiro Rafael Vaz. O resultado fez o Cruz-Maltino chegar aos 12 pontos, mantendo os 100% de aproveitamento e a liderança do Grupo A do Campeonato Carioca. Já o Rubro-Negro segue com oito, na vice-liderança do Grupo B.

O Vasco foi melhor durante grande parte dos 90 minutos, mas teve problemas em criar boas chances de gol. O Flamengo, por sua vez, só assustou nas bolas paradas, mas soube parar as principais peças ofensivas do adversário.

Quando parecia que o clássico terminaria empatado, os vascaínos chegaram ao gol nos acréscimos. Após cobrança de falta na área com Nenê, Rodrigo cabeceou mal, mas a bola sobrou para Rafael Vaz finalizar para a rede, sem chance para Paulo Victor. O Flamengo não vence o Vasco desde o Carioca de 2015.

Na próxima rodada, o Vasco vai enfrentar o Tigres, em Xerém (RJ), no sábado. No dia seguinte, o Flamengo terá o clássico contra o Fluminense, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Confusão antes do jogo

Mesmo com forte aparato policial para garantir a integridade dos torcedores, a tensão predominou no clima pré-jogo. Ao menos, pelo lado do Flamengo. A torcida rubro-negra causou confusão na chegada a São Januário, na tarde deste domingo, ao depredar um dos banheiros e ser alvo do gás de pimenta.

Sem jogar no estádio desde 2005, a torcida flamenguista lotou o espaço destinado aos visitantes. Cerca de 1 000 torcedores rubro-negros chegaram escoltados pela polícia militar, mas logo após a entrada, o clima de provocação tomou conta. Para dispersar os torcedores e evitar um embate já nas dependências do estádio, cilindros de gás de pimenta foram atirados contra a multidão.

O tumulto se intensificou quando um dos banheiros da área dos visitantes foi depredado pela torcida. Cerca de 15 flamenguistas acabaram detidos e encaminhados ao juizado especial do estádio. A falta d’água nos banheiros e as condições precárias, relatadas por alguns torcedores, foram o principal motivo da revolta.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: