CBF admite falha em sistema que pode salvar Portuguesa

00A defesa da Portuguesa, revelada pelo LANCE!Net, será construída sob um problema operacional que a própria CBF assume ter. De acordo com a entidade, há defasagem de atualização e informação no “BID da Suspensão”, como é conhecido o sistema implementado definitivamente pela própria CBF desde 1° de setembro.

O programa, acessado pelos clubes com senha, informa quais atletas estão suspensos por cartão ou por punição do STJD. No caso de Héverton, o sistema só foi atualizado na terça-feira, dia 10 de dezembro, quatro dias depois do julgamento do STJD no qual o meia pegou dois jogos de suspensão – o que o tornava irregular para o jogo contra o Grêmio, no dia 8.

A entidade diz que sempre fez o controle interno dos cartões e suspensões. Então houve a ideia de disponibilizar aos clubes. Um sistema foi montado, com login e senha. Futuramente, isso pode ser levado como oficial, com a mesma validade jurídica do Boletim Informativo Diário da registros e transferências, mas nunca foi tido como tal.

No caso das punições do STJD, a informação só é atualizada depois que o resultado do julgamento chega à CBF. Para se eximir de responsabilidade, a CBF se valo do parágrafo primeiro do artigo 57 do Regulamento Geral das Competições, o qual diz que o clube não pode depender da entidade para controlar a condição de jogo dos jogadores. CBF alega não ter condições de controlar todas as punições pelo país.

O problema é que o documento enviado pela Diretoria de Competições orienta os clubes a se informarem sobre advertências e punições do STJD pelo programa que ela implementou. “Contamos com a colaboração de todos para que em 1/9 possamos adotar esse sistema de consulta em definitivo”, afirma o texto.

A fragilidade na atualização do “BID da Suspensão” será usada pela Portuguesa para apontar a CBF, organizadora da competição, como coautora do erro no dia 27, data do julgamento no Pleno do STJD.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: