Bruno Silva faz nos acréscimos e Botafogo vence o Bahia

Batalha aérea. Foi assim que a partida entre Bahia e Botafogo, neste domingo, na Arena Fonte Nova, em Salvador, válida pela 22º rodada do Brasileirão, se desenhou. E quem se deu melhor foi o time de Jair Ventura. Com gols de Roger e Bruno Silva, nos acréscimos da partida, o Alvinegro venceu os donos da casa por 2 a 1. Renê Junior descontou. O Botafogo chega aos 31 pontos e se coloca na briga por uma vaga para a Libertadores do ano que vem.

Pimpão, de volta após desfalcar o time na seminfinal da Copa do Brasil, foi o grande destaque indivudal da partida. Saiu dele os dois cruzamentos que resultaram nos gols botafoguenses. O atacante deu trabalho para a defesa tricolor.

Agora, Jair Ventura terá tempo de sobra para preparar o time, que só volta a campo no dia 10 de setembro, no clássico contra o Flamengo, no Engenhão, pela 23ª rodada do Brasileirão. Já o Bahia vai até Goiânia para enfrentar o Atlético Goianiense, no dia 11.

O jogo: bombardeiro aéreo melhor para os visitantes

Quem achava que o Botafogo iria começar o jogo esperando o Bahia, se enganou. O time de Jair Ventura, mesmo fora de casa, ditou o ritmo do primeiro tempo da partida desde o começo. Logo aos 5 minutos, Roger não conseguiu completar passe da direita e desperdiçou boa chance. Mas aos 12, Pimpão cruzou da esquerda e o atacante, com um toque de cabeça para trás, encobriu o goleiro Jean e abriu o placar.

Mas não deu para comemorar. Um minuto depois, foi a vez do time da casa fazer parecido. Zé Rafael levantou da direita, e Renê Júnior, também com um toque de cabeça para trás, encobriu Gatito e deixou tudo igual, até no jeito do gol.

O empate não abalou o Botafogo. O Bahia tentava sair para o ataque, principalmente pela bola áerea, mas era o Alvinegro que continuava com mais posse de bola. E tinha as melhores chances. Pimpão, aos 37 e aos 42, perdeu oportunidades de colocar o Alvinegro na frente e o jogo foi para o intervalo com o placar igual.

No segundo tempo, o time da casa tentava acelerar o jogo, mas ainda insistia muito em cruzamentos, como na primeira etapa. Aos 2 minutos, Eduardo achou Rodrigão, mas a cabeçada do atacante parou em Gatito.

O jogo era aberto, mas sem chances claras. Aos 32, Mendoza bateu boa falta, mas a bola saiu à esquerda de Gatito. Já nos acréscimos a partida ganhou em emoção. Aos 46, Arnaldo roubou a bola e, em contra-ataque, passou para Pimpão. Com a o pé na forma, o atacante cruzou na medida para Bruno Silva, sem chances para Jean.

O Bahia ainda pressionou, e aos 49, quase empatou. Vinícius bateu cruzado e Rodrigão se atirou de carrinho, mas a bola passou rente à trave. Mas estava escrito pelos Deuses do Futebol: só poderia ter gols de cabeça. Melhor para o Botafogo.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: