Botafogo passa pelo Coxa e retoma luta pela ponta

003A estreia dos sonhos. É assim que pode definir o jovem Hyuri, ex-Audax, que hoje estreou pelo Botafogo. E logo como titular no palco maior do futebol brasileiro. O atacante de 21 anos marcou dois gols, sendo um deles antológico, e ajudou o Botafogo a subir de posição na tabela.

Com o resultado o Botafogo agora ocupa a 3ª colocação, com 33 pontos, dividindo a vice-liderança com o Atlético-PR. Já o Coritiba segue na 8ª posição, com 25 pontos em 18 partidas.

Na última rodada do turno o Botafogo enfrentará o Criciúma no Heriberto Hülse, às 18h30. O Coxa encara em casa o São Paulo, às 16h.

Rafael Marques participa dos dois gols do 1º tempo
Em noite de chuva fina no Rio de Janeiro, apenas 9.862 torcedores compareceram no Maracanã. Ambas as equipes entraram em campo com desfalques, buscando recuperação na tabelo. Tanto Botafogo quanto Coritiba sentiram o gostinho da liderança do Brasileirão por várias rodadas, e foram para o jogo mostrar do que ainda são capazes nesse campeonato.

O cartão de apresentação do Botafogo veio logo no primeiro minuto: Seedorf cobrou escanteio na medida para Bolívar desviar de cabeça. A bola passou perto do gol de Vanderlei. Dois minutos depois Seedorf recebeu sem marcação passe de Edilson, e, na entrada da área, chutou muito alto.

No contra ataque o Coritiba tentou suas principais ações. Aos 4 minutos o ex-botafoguense Vitor Junior se aproveitou da bobeira entre Edilson e Bolívar e roubou a bola do zagueiro, avançou e chutou cruzado de direita. Renan desviou para escanteio.

O primeiro gol da partida veio aos 13 minutos, quando Gabriel se aproveitou da saída errada de Victor Ferraz, roubou a bola e tocou para Elias. O atacante chutou de fora da área, a bola desviou na cabeça de Rafael Marques e sobrou para Gabriel, que chutou em cima de Luccas Claro. Iluminado, Rafael Marques recebeu a bola espirrada, sozinho, e finalizou com estilo. 1 a 0 Botafogo.

Oitavo gol do atacante alvinegro, que agora está atrás na artilharia apenas de Éderson do Atlético-PR (12 gols) e William da Ponte Preta (10 gols).

O segundo gol veio aos 39 minutos, justamente quando o Coritiba dominava a posse de bola. Após lançamento longo de Dória nas costas de Victor Ferraz, Rafael Marques avançou em velocidade e cruzou na medida para Hyuri. Chico não alcançou pelo alto, e o estreante da noite tocou de cabeça para baixo, no contra pé de Vanderlei. A bola ainda quicou antes de entrar.  2 a 0.

Hyuri marca golaço e Renan é expulso
O segundo tempo começou eletrizante, com o Coritiba buscando diminuir e dando mais espaços ainda. Não tardou para o grande momento da noite acontecer

Aos 4 minutos Hyuri apareceu novamente, e dessa vez com um gol antológico. O jovem atacante recebeu de Bolívar e arrancou em velocidade na ponta direita, passou por três marcadores do Coritiba. Antes da batida certeira com a perna direita, Hyuri ainda deu dois giros de corpo, típicos de futsal. Na comemoração foi abraçar a torcida localizada atrás do gol e tomou cartão amarelo. 3 a 0.

Nessa altura da partida o Botafogo assegurava a vice-liderança, superando o Atlético-PR no saldo de gols. Porém, após bobeada da zaga, Gil entrou em velocidade sozinho. Renan derrubou o jogador do Coxa, e, por ter sido o último homem, recebeu o cartão vermelho. Oswaldo sacou Elias para dar vaga para o terceiro goleiro Milton Raphael. Milton acertou o canto, mas não alcançou a ótima cobrança de Alex. 3 a 1.

A partir do gol do Coritiba e da superioridade numérica, o Coxa passou a dominar o jogo. O Botafogo arriscou apenas em contra ataques, especialmente com Hyuri. Que além de velocidade têm também porte físico.

O Coxa ameaçou em uma cabeçada de Alex, que raspou a trave esquerda de Milton aos 27. E o próprio Alex serviu Chico aos 31. Chico contou com saída precipitada do goleiro reserva e cabeceou muito próximo da trave direita alvinegra.

O Botafogo ameaçou com Gabriel, que recebeu excelente enfiada de bola em profundidade pelo garoto Octávio, também prata da casa de General Severiano.

Aos 39 minutos Maykon, que entrara no segundo tempo, recebeu o segundo cartão amarelo e os times voltaram a ter igualdade numérica. A partir daí foi apenas o Botafogo administrar o placar e reencontrar a vitória em casa.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: