Botafogo arranca empate com o Galo

Botafogo e Atlético Mineiro protagonizaram um bom duelo na noite deste domingo, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. A partida terminou em 1 a 1. O Galo se armou muito bem defensivamente e deu trabalho nos contra-ataques, abrindo o placar no primeiro tempo com Marlone. O Botafogo teve muitas dificuldades e pouco produziu ofensivamente, mas foi salvo por um pênalti nos acréscimos do segundo tempo. Roger cobrou e Victor defendeu, mas no rebote o atante converteu.

Uma vitória garantiria uma posição no G6 para qualquer um dos dois, mas o empate foi ruim para ambos. O Galo fecha o domingo na oitava posição com 17 pontos, e o Bota aparece em décimo com 16. Os dois podem perder posições ainda nesta rodada, já que Coritiba e Sport jogam nesta segunda.

Na próxima rodada, na quarta-feira, o Botafogo encara o Fluminense no Maracanã e o Atlético-MG recebe o Santos no Independência.

O JOGO – Botafogo e Atlético-MG fizeram um duelo movimentado e bem disputado no Engenhão. Jogando com três volantes, a equipe mineira conseguiu formar uma defesa sólida, mesmo atuando com uma dupla de zaga jovem, composta por Bremer e Matheus Mancini. O Botafogo, por sua vez, conseguiu boa posse de bola, mas teve dificuldades em criar situações de gol.

O Galo foi mais eficiente no ataque e deu mais trabalho a Jefferson. Aos nove, Robinho fez boa jogada no bico da área pela esquerda e rolou para Marlone. O meia ajeitou e soltou a bomba, que o goleiro Alvinegro espalmou.

Poucos minutos depois, mais trabalho para Jefferson. Elias puxou contra-ataque e entregou para Rafael Moura na esquerda. O He-Man viu Yago do outro lado e cruzou para o volante, que tocou para Elias acertar chute de primeira. Jefferson pulou e espalmou de mãos fechadas.

O Bota teve uma sequência boa aos 17. Pimpão sofre falta de Marcos Rocha na intermediária e João Paulo tenta o chute direto. A bola bate no braço do zagueiro atleticano e é marcada a infração, já perto da área. Na cobrança de João Paulo, a bola fica na barreira.

Aos 22, o Galo saiu na frente no placar. A bola foi roubada ainda no campo do Bota, e de pé em pé, chegou a Marlone na esquerda do ataque. O meia ajeitou, deu um belo corte no marcador e arriscou o chute. Emerson Silva tenta cortar de cabeça mas acaba tirando Jefferson da jogada, e a bola foi parar no fundo da rede.

O Bota só conseguiu crescer no jogo no final da primeira etapa. Aos 40, Arnaldo sobe pela direita e cruza. Roger acerta a cabeçada, mas a bola vai pela linha de fundo. Três minutos depois, quase o empate. Arnaldo cobrou lateral na área, Roger cabeceou para o meio e Pimpão matou no peito e mandou no canto esquerdo de Victor, que voou e mandou para escanteio.

Jair Ventura sacou Matheus Fernandes no intervalo e colocou Camillo. O Botafogo continuou com dificuldades para armar as jogadas, mas o segundo tempo começou animado.

Logo aos dois minutos, Rafael Moura fez cruzamento da esquerda e a bola bateu no braço do zagueiro Emerson Silva, dentro da área. Pênalti que o próprio He-Man cobrou no cantinho e Jefferson fez grande defesa para evitar o segundo do Galo.

O Atlético-MG pressionava a saída de bola do Fogão e dificultava as coisas para os cariocas. Mas foi num contra-ataque que a equipe mineira desperdiçou outra grande chance de ampliar o marcador. Robinho é lançado, domina e acha Yago livre na área pela direita. O volante solta a bomba, mas Jefferson se esticou todo e salvou mais uma.

Roger Machado armou duas linhas defensivas e bloqueou os espaços para o Botafogo, que tentava chegar pelos lados e cruzamentos na área. Mas a defesa atleticana levava a melhor e não permitia as conclusões.

Na metade da etapa, o técnico do Galo começou a mexer na equipe. O primeiro a entrar foi Fred, que substituiu Rafael Moura. Alguns minutos depois, Cazares entrou no lugar de Marlone. O panorama da partida seguia o mesmo, com o Galo bem fechado e o Botafogo trabalhando na linha média sem espaço para penetrar.

O jogo seguiu morno até que o Atlético quase ampliou aos 43. Cazares é lançado sai driblando e passa por Jefferson, mas cai e não consegue marcar. Três minutos depois foi a vez de Robinho aparecer na cara do goleiro Alvinegro, mas Jefferson sai bem e faz grande defesa.

Quando tudo parecia apontar para uma vitória do Galo, Matheus Mancini derrubou Marcos Vinícius na área e o árbitro assinalou o pênalti. Roger cobrou e Victor fez grande defesa, mas no rebote, o atacante do Bota não deixou a chance escapar e decretou o empate.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: