Avenida Marquês do Paraná vai ganhar mais uma faixa de rolamento

A obra de alargamento da Avenida Marquês do Paraná, no Centro, terá início em outubro com a demolição dos prédios que começaram a ser desapropriados na esquina com a Rua Doutor Celestino. No sentido Icaraí, a via ganhará mais uma faixa de rolamento, passando de três para quatro, e ciclovia ligando o Centro à Zona Sul. Essas intervenções começam ainda este ano. O projeto inclui a reurbanização da via da Avenida Ernani do Amaral Peixoto até a Rua Miguel de Frias, com duas praças de convivência sobre o mergulhão Ângela Fernandes, além de um calçadão de cinco metros de largura.

Uma quinta faixa de rolamento será criada para desaceleração dos veículos que desejarem acessar o shopping a ser construído às margens da via. A planta do empreendimento comercial também prevê duas faixas de rolamento internas, cada uma com 250 metros, na área de acesso ao shopping. O objetivo é evitar impacto no trânsito da via no horário de rush.

Na saída do mergulhão Ângela Fernandes será construída uma mureta dividindo as pistas da Avenida Marquês do Paraná. Com isso, os motoristas que se dirigirem ao shopping deverão acessar a Avenida Amaral Peixoto e seguirem pela Rua Doutor Celestino.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, enfatiza que a intervenção na Avenida Marquês do Paraná resolve o gargalo formado no fim da Rua Doutor Celestino, um dos principais eixos para os veículos que seguem do Centro para a Zona Sul.

“Este projeto era esperado há muitos anos pela população e consolida a realização de mais uma etapa do projeto Niterói de Bicicleta, com a integração da ciclovia das Avenidas Roberto Silveira e Amaral Peixoto. Apesar da crise financeira que estamos vivendo no Estado, em Niterói estamos conseguindo tirar importantes obras do papel. Este será mais um importante passo para a mobilidade da nossa cidade”, afirma Rodrigo Neves.

Sobre a implantação da ciclovia, o secretário executivo de governo, Axel Grael, ressalta que esta é uma das ciclovias mais importantes da cidade, uma vez que ligará o Centro à Zona Sul, trecho bastante usado pelos ciclistas.

“Esta ciclovia será bidirecional e representa mais um impulso no uso da bicicleta na cidade. É mais uma etapa para Niterói seguir em frente e se tornar uma das cidades mais cicláveis do país”, diz Axel Grael.

Desapropriações – Em junho, a Prefeitura de Niterói iniciou o processo de desapropriação de 53 imóveis para o alargamento da Marquês do Paraná.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: