Atlético-PR 1 x 1 Flamengo-RJ: Veja os gols

00Logo na entrada dos times, muito foguetório recebeu os jogadores de Atlético-PR e Flamengo. A promessa de jogo quente na primeira final de Copa do Brasil do time paranaense se concretizou em campo. O Furacão explodiu seus torcedores ao abrir o placar com Marcelo, mas o volante Amaral tratou de devolver na mesma moeda e empatou ainda na etapa inicial. Nada que diminuísse o ímpeto das duas equipes, que fizeram uma partida intensa até o apito final. Mas o placar ficou mesmo no empate que, se não dá abertura a nenhum dos times, deixa o time carioca mais satisfeito – afinal, pelo critério do gol fora de casa, o Flamengo pode empatar em 0 a 0 no Maracanã para sair campeão.

Refletindo o espírito da torcida atleticana, que lotava a Vila Capanema, o 1º tempo foi marcado por muita disposição das duas equipes. Apesar do jogo ser muito dividido, tanto Atlético Paranaense quanto Flamengo buscavam com muito vigor o ataque, deixando alguns espaços nos campos defensivos, especialmente na intermediária. Aos 16 minutos, na primeira chance de gol, Elias recebeu pouco depois do círculo central e arriscou dali mesmo, mandando por cima. Talvez o volante não soubesse, mas naquele momento estava mostrando o caminho para as mudanças no placar.

Apenas dois minutos depois, Marcelo mostrou que o Furacão havia prestado atenção na dica do outro rubro-negro. No minuto 18, ele recebeu de Paulo Baier e chegou finalizando na corrida, da entrada da área. O chute saiu muito forte e foi no alto do gol de Felipe, que se esticou e ainda raspou na bola, mas não conseguiu impedir que o Atlético abrisse o marcador.

Só que o Flamengo também aprendeu a lição. Aos 31 minutos, o volante Amaral recebeu com muito espaço na intermediária ofensiva e disparou uma pancada com o pé direito. A bola pegou efeito e foi no ângulo esquerdo de Weverton que, assim com o goleiro adversário, se esticou todo mas não alcançou.

Se pouco antes de empatar a decisão o rubro-negro carioca já havia perdido o lateral André Santos, que sentiu o joelho direito ao pisar em um buraco no gramado e deu lugar a João Paulo, a situação acabou se complicando depois do gol. No final da primeira etapa, aos 42 minutos, Chicão sentiu a coxa direita ao disputar uma bola no lado direito da área, dando lugar ao jovem Samir.

O Atlético Paranaense voltou para o 2º tempo ciente da importância de abrir vantagem para o jogo de volta, na próxima quarta-feira, no Maracanã. Logo aos 4 minutos, Paulo Baier cobrou uma falta dentro da área e Luiz Alberto subiu mais do que a zaga para desviar de cabeça, mas Felipe conseguiu espalmar. Aos 12, foi a vez de Marcelo, em mais uma arrancada fulminante pela esquerda, passar por Wallace e chutar quase da linha de fundo. Felipe ainda deu rebote, mas o zagueiro Samir apareceu antes de Éderson para afastar o perigo.

O técnico Vágner Mancini tentou levar o time da casa à frente, trocando o lateral-esquerdo Pedro Botelho, que já tinha cartão amarelo, pelo atacante Dellatorre, obrigando sua equipe a se redistribuir taticamente. A mudança acabou deixando espaços na esquerda, onde foi parar improvisado o volante Juninho, e foi por ali que o Flamengo construiu suas chances na segunda etapa. Aos 20 minutos, Luiz Antônio passou por Juninho e por Manoel, invadiu a área e chutou forte, mas a bola subiu demais. Aos 25, Paulinho armou o ataque pela esquerda mas inverteu para o outro lado da área, achando Léo Moura livre. O lateral ainda teve tempo de dominar antes do chute, mas foi outro a pegar muito embaixo da bola.

Percebendo que o Flamengo achara seu caminho do tesouro, Mancini tratou de colocar um lateral de ofício, Maranhão, para fechar o setor, sacrificando com isso o veterano Paulo Baier. Mas ainda antes disso, aos 30 minutos, o Flamengo teve sua oportunidade mais perigosa. Luiz Antônio cobrou falta quase da linha da grande área, buscando o ângulo direito, e a bola tirou tinta da trave enquanto Weverton apenas olhava.

Com a correção no lado esquerdo e a proximidade do fim do jogo, o Atlético voltou a mostrar consistência e passou a acuar o Flamengo, que parecia satisfeito com o empate e se preocupou em segurar o resultado. Mas, com o time da casa nervoso pelo empate e sem Paulo Baier em campo, faltou organização para articular as jogadas. Éverton e Maranhão, aos 35 e aos 40 minutos, tentaram resolver em arrancadas pelo meio. Enquanto o primeiro obrigou Felipe a fazer ótima defesa, após chute forte de fora da área, o segundo se empolgou ao passar por três marcadores e acabou perdendo para Wallace.

Ainda houve princípio de confusão aos 42 minutos, quando Wallace e Éverton trocaram empurrões na intermediária do Flamengo, mas os ânimos foram acalmados na base da conversa. E assim foi até o apito final, que encerrou a primeira metade da decisão da Copa do Brasil. O que ainda tiver de acontecer fica para o jogo da volta, na próxima quarta-feira (28/11), no Maracanã.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: