Atlético-MG 2 x 2 Botafogo: alvinegros fazem grande segundo tempo, e Bota fica com a vaga

003Diante de sua torcida, o Atlético-MG brigou muito, mas não deu: é o Botafogo quem ficou com a vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil no duelo da Arena Independência, após o empate em 2 a 2. Os gols da noite foram marcados por Marcos Rocha e Fernandinho, para o Galo, e Rafael Marques e Dória, para o Bota, que vence a série com um placar agregado de 6 a 4.

Os cariocas esperam o vencedor de Flamengo x Cruzeiro, que decidem vaga também nesta quarta-feira. A próxima fase da competição, no entanto, só acontece em outubro.

O jogo

O Galo foi pura pressão assim que a bola rolou no Independência. Logo aos cinco minutos, Léo Silva já assustava em cabeceio que parou no goleiro Jefferson. O camisa 1 botafoguense, aliás, trabalhou muito durante a primeira etapa, sendo seguidamente ameaçado pelas chegadas da equipe mineira: aos sete, Réver cabeceou por cima, com muito perigo.

Por sua vez, o Botafogo demonstrava sentir a falta de Vitinho, recentemente negociado com o futebol russo, com dificuldades para sair em contragolpe ou furar a blitz imposta pelo anfitrião. Aos 14, Jô chegou perto de abrir o placar após ficar livre na sequência de uma falha de Dória, mas pegou mal na bola e mandou para fora. Ronaldinho, de cabeça, também assustou o goleiro Jefferson, aos 16.

A partida continuou no mesmo ritmo durante toda a primeira etapa, embora o Bota tenha conseguido arrefecer as chegadas mais perigosas de seu adversário. E veio o gol, quase que uma recompensa à atuação atleticana nos minutos iniciais. Fernandinho passou com facilidade por Edílson e mandou rasteiro na área para Marcos Rocha surgir livre e só empurrar para o fundo do gol.

Os cariocas sabiam que não poderiam manter este ritmo e garantir a classificação com uma atuação tão pouco inspirada, e voltou forte do intervalo. E a reação veio cedo. Logo aos cinco minutos, Rafael Marques aproveitou um chute ruim de Alex após jogada de Lodeiro e completou para o gol. Edílson, pouco depois, testou Victor com um chute forte, do canto da área.

Parecia que o segundo tempo estava destinado a ser emocionante, já que o Galo não se abalou e respondeu mandando uma bola na trave, com Jô, antes de voltar à frente no placar. Tardelli passou por Dória com uma meia-lua aos onze minutos e cruzou rasteiro. Fernandinho, desta vez, apareceu na outra ponta da jogada para chegar batendo e fazer 2 a 1.

Mas a alegria dos mineiros durou pouco: Dória aproveitou uma confusão na área do Atlético e mandou por baixo de Victor para empatar novamente. A necessidade de marcar ao menos mais dois gols fez o Galo pisar no acelerador, abrindo mão da organização tática para tentar a vitória a qualquer custo. Mas criou muito pouco: um chute isolado de Réver, já nos acréscimos, foi a maior chance que o time da casa teve para deixar a Copa do Brasil com honra. Ainda que, ao apito final, a torcida presente em Belo Horizonte tenha reconhecido o esforço do time alvinegro.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: